terça-feira, 1 de setembro de 2015

“O homem como co-criador e dotado de livre arbítrio tem uma grande responsabilidade no enfrentar a atual crise ecológica”. Foi o que sublinhou o Patriarca Ecumênico de Constantinopla Bartolomeu I numa mensagem divulgada por ocasião do Dia Mundial de Oração pelo cuidado da criação que se celebra nesta terça-feira, 1 de setembro, pela primeira vez em comunhão com a Igreja Católica e outras Igrejas cristãs.

A mensagem, que vai ao encontro da análise e das considerações do Papa Francisco na Encíclica Laudato Si sobre o cuidado da casa comum, parte das mudanças climáticas que hoje ameaçam a sobrevivência do planeta, para denunciar as responsabilidades humanas na destruição da Criação. É “a cobiça dos homens”, que recorda a do “rico insensato” do Evangelho, assim como o “consumismo”, a cultura “do desperdício”, a exploração indiscriminada dos recursos minerais, que reduziram a Terra a “um imenso depósito de lixo”, afirma o Patriarca, citando as palavras da Encíclica”.

Trata-se, todavia, não somente de “lixo material”, mas sobretudo de “lixo espiritual”. Em sintonia com o Papa Francisco, Bartolomeu I evidencia, de facto, a estreita ligação entre a crise de relação do homem com a natureza e a da sua relação com Deus. Neste sentido, “os cristãos ortodoxos, fortificados pela sua fé no Criador”, são chamados “a realizar, também em relação ao tema da tutela da Criação, uma obra evangélica: a renovar, desta forma, o anúncio do Evangelho no mundo atual”.

A mensagem termina com o convite a todos “para despertarem as mentes” e se libertarem das paixões e dos interesses pessoais “para viver em harmonia com o próximo e com a Criação, tão bem feita por Deus”

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Os bispos referenciais da Liturgia nos regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) participaram, na última semana, de um encontro promovido pela Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia. Na ocasião, foram apresentadas propostas de ação no âmbito litúrgico para o quadriênio 2015-2019, a partir das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE), Documento 102 da CNBB.

 Os bispos referenciais propuseram a publicação de subsídios sobre liturgia, em linguagem popular, e organização de encontros regionais com vistas à formação e valorização da religiosidade popular. A identificação dessas iniciativas foi possível durante a avaliação da dimensão litúrgica nos regionais. “O levantamento foi muito interessante, porque vimos que muita coisa bonita está acontecendo, embora os regionais tenham seus desafios, existe uma atividade voltada à formação litúrgica, em todas as dioceses”, conta o bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA) e presidente da Comissão Episcopal para a Liturgia, dom Armando Bucciol.

As sugestões apresentadas durante a reunião dos bispos referenciais serão levadas ao Conselho Permanente da CNBB. A Comissão tem a intenção de organizar um Congresso de Mariologia e Liturgia, de modo a recordar a religiosidade popular demonstrada na devoção mariana. Este evento estaria inserido no contexto dos 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida e dos 100 das aparições de Nossa Senhora de Fátima, que serão comemorados em 2017.

Há também a proposta de publicação de subsídios litúrgicos voltados ao Jubileu da Misericórdia e que colaborem com as campanhas da Fraternidade e da Evangelização.

Outro objetivo é buscar a formação litúrgica ligada à catequese de iniciação à vida cristã. Também fazem parte deste processo formativo, de acordo com as propostas elencadas no encontro, os futuros diáconos, a Pastoral Litúrgica, seminaristas, músicos e compositores.

Trabalho em conjunto

Em parceria com outras comissões da CNBB, a Comissão para a Liturgia pretende realizar ações nas áreas de vocações e ministérios, da dimensão missionária e da comunicação, como formações sobre transmissão de celebrações eucarísticas e comunicação no espaço litúrgico.

Com informações e fotografia das Pontifícias Obras Missionárias
Hoje (31), depois de vários dias de festejo, terminam as homenagens em honra à São Raimundo Nonato, no Bairro Santos Dumont. A programação de encerramento consta da procissão luminosa, saindo da própria comunidade às 18:00h, percorrendo algumas ruas e finalizando com a celebração da Santa Missa. 

Biografia: 
Raimundo nasceu em Portell, na Catalunha, Espanha, em 1200. Seus pais eram nobres, porém não tinham grandes fortunas. O seu nascimento aconteceu de modo trágico: sua mãe morreu durante os trabalhos de parto, antes de dar-lhe à luz. Por isso Raimundo recebeu o nome de Nonato, que significa não-nascido de mãe viva, ou seja, foi extraído vivo do corpo sem vida dela.

Dotado de grande inteligência, fez com certa tranquilidade seus estudos primários. O pai, percebendo os dotes religiosos do filho, tratou de mandá-lo administrar uma pequena fazenda de propriedade da família. Com isso, queria demovê-lo da ideia de ingressar na vida religiosa. Porém as coisas aconteceram exatamente ao contrário.

Raimundo, no silêncio e na solidão em que vivia, fortificou ainda mais sua vontade de dedicar-se unicamente à Ordem de Nossa Senhora das Mercês, fundada por seu amigo Pedro Nolasco, agora também santo. A Ordem tinha como principal finalidade libertar cristãos que caíam nas mãos dos mouros e eram por eles feitos escravos. Nessa missão, dedicou-se de coração e alma.

Apesar da dificuldade, conseguiu o consentimento do pai e, finalmente, em 1224, ingressou na Ordem, recebendo o hábito das mãos do próprio fundador. Ordenou-se sacerdote, e seus dotes de missionário vieram à tona, dedicando-se de coração e alma. Por isso foi mandado em missão à Argélia, norte da África, para resgatar cristãos das mãos dos muçulmanos. Conseguiu libertar 150 escravos e devolvê-los às suas famílias.

Quando se ofereceu como refém, sofreu no cativeiro verdadeiras torturas e humilhações. Mas mesmo assim não abandonou seu trabalho. Levava o conforto e a Palavra de Deus aos que sofriam mais do que ele e já estavam prestes a renunciar à fé em Jesus. Muitas foram as pessoas convertidas por ele, o que despertou a ira dos magistrados muçulmanos, os quais mandaram que lhe perfurassem a boca e colocassem cadeados, para que Raimundo nunca mais pudesse falar e pregar a doutrina de Cristo.

Raimundo sofreu durante oito meses essa tortura até ser libertado, mas com a saúde abalada. Quando chegou à pátria, na Catalunha, em 1239, logo foi nomeado cardeal pelo papa Gregório IX, que o chamou para ser seu conselheiro em Roma. Empreendeu a viagem no ano seguinte, mas não conseguiu concluí-la. Próximo de Barcelona, na cidade de Cardona, já com a saúde debilitada pelos sofrimentos do cativeiro, Raimundo Nonato foi acometido de forte febre e acabou morrendo, em 31 de agosto de 1240, aos 40 anos de idade.

Raimundo Nonato foi sepultado naquela cidade e o seu túmulo tornou-se local de peregrinação, sendo, então, erguida uma igreja para abrigar seus restos mortais. Seu culto propagou-se pela Espanha e pela Europa, sendo confirmado por Roma em 1681. São Raimundo Nonato, devido à condição difícil do seu nascimento, é venerado como Padroeiro das Parturientes, das Parteiras e dos Obstetras.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Com o tema “São José de Ribamar, padroeiro do Maranhão, 100 anos de evangelização”, terá início nesta sexta-feira (28) o tradicional Festejo de São José, maior festa religiosa do Maranhão e que se estenderá até o dia 06 de setembro na cidade balneária.

Durante entrevista coletiva, os padres que dirigem o santuário destacaram o momento em que vive o a comunidade católica do Maranhão, que comemora 100 anos de construção da Igreja Matriz.

“Este ano, nosso tema faz referência aos 100 anos de construção de nossa atual Igreja Santuário”, explicou o reitor, Padre Cláudio Roberto.

Como tradicionalmente acontece, na manhã da última quarta-feira (26), fiéis do santo padroeiro do Maranhão participaram da lavagem da Igreja Matriz, ato preparatório para o festejo de São José de Ribamar 2015. A expectativa é de que mais de 200 mil pessoas visitem o município durante os dez dias do Festejo.

Mais de 50 missas e romarias fazem parte da programação do Festejo. “A igreja de São José tem sido um espaço de grandes manifestações divinas, com grandes milagres, curas e bênçãos”, afirmou o Padre Cláudio Roberto.

Um século de edificação

Em março de 1915, iniciava-se a construção da quarta e definitiva igreja de São José de Ribamar, após três tentativas frustradas de construção e posterior desabamento. Naquela época, viu-se que a cidade estava em fase de desenvolvimento e os moradores do então vilarejo decidiram erguer um templo que atendesse aos aspectos arquitetônicos de seu tempo.

“Pelos documentos que encontramos na paróquia e em outros lugares percebemos que os moradores do local quiseram construir uma nova igreja que correspondesse aos padrões estruturais da vila e também para atender à grande demanda de romeiros. Então, o bispo Dom Francisco de Paula e Silva aprovou o projeto do arquiteto J. Fernandes. A obra seria o mais moderno conjunto arquitetônico estilo gótico europeu construído no Maranhão”, conta o historiador Antônio Miranda.

Porém, tendo em vista dificuldades estruturais, agravadas pelas condições precárias de transporte, a obra não avançou, sobrando apenas o alicerce em formato de cruz. “Um novo projeto foi pensado para aproveitar o alicerce que já estava pronto. Com a permissão do mesmo bispo, as obras tiveram início, com nova arquitetura, em março de 1915”, afirma Antônio.

Segurança, Trânsito e Saúde

Durante os dez dias de festa, o efetivo das equipes dos serviços essenciais serão aumentados para atender a demanda dos turistas e devotos que passarão pela cidade.

Uma ‘Tenda da Saúde’ será montada na área do Santuário para dar suporte às ambulâncias que atuarão nos arredores das celebrações, romarias e demais eventos da programação.

Funcionários da Vigilância Sanitária Municipal atuarão junto aos trabalhadores do comércio informal distribuindo material de trabalho (toucas e luvas descartáveis, por exemplo). Fiscais do urbanismo farão vistoria no largo do Santuário, onde será proibida a circulação de ambulantes.

Segundo o Comandante do 13º Batalhão da PM, Coronel Alexandre, o efetivo policial será reforçado, principalmente nos dias de grande aglomeração, com o complemento do 8º Batalhão, CPRv e Guardas Municipais de São Luis e Ribamar.

O trânsito será interditado no perímetro de 100 metros do santuário, exceto no dia 06, onde será proibida a circulação de veículos ao longo da Avenida Gonçalves Dias.

A programação do evento está disponível no www.pascomsjr.blogspot.com.br

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

A organização pela liberdade religiosa MasLibres.org publicou uma entrevista com um membro do Estado Islâmico, que assegurou que morrer por Alá é “o melhor destino que uma pessoa pode escolher”. “Convertam-se enquanto é tempo”, diz o terrorista.

O jovem muçulmano disse que caso não se convertam, “morrerão como infiéis. Essa é a lei de Alá. Nós sairemos vitoriosos. Chegaremos à Roma, à Praça de São Pedro e faremos execuções massivas de infiéis”.

 A fim de proteger a segurança do repórter que realizou a entrevista, não puderam entrar em detalhes sobre sua realização, explicou Maslibres.org ao Grupo ACI. Mas, garantem que a entrevista foi feita há mais de um mês, quando os muçulmanos celebravam o Ramadã, e foi conduzida por uma equipe que está no Oriente Médio.

 Além desta entrevista, oferecem também imagens das atividades deste membro do grupo terrorista que são fotogramas do documentário.

 O terrorista nasceu na Alemanha e tem nacionalidade polonesa, é conhecido como Adam A1 N e se considera como um “servidor de Deus, um crente fiel ao único deus”. Sua mãe é polonesa e católica e ela a considera “infiel”, enquanto seu pai é palestino procedente de Jordânia.

 “Farei qualquer coisa por Alá e, se tiver que me converter em mártir, será o melhor destino que ele escolherá para mim. Ser crente é uma aventura maravilhosa na minha vida. Tinha quinze anos quando meus olhos se abriram para ver o único Deus. Então entendi a palavra de Alá dizendo que os infiéis são piores que animais”, afirmou.

 Segundo expressou, uniu-se à organização terrorista de Ahrar Al Sham Abu Omer Al Shami durante uma viagem em 2012 na Síria. Posteriormente se uniu ao exército do califa Al Baghdadi, do Estado Islâmico. Ali, foi treinado e participou dos assaltos das cidades de Aleppo, Azas e Raqqa.

 Depois de estar oito meses no Estado Islâmico, voltou para a Alemanha para visitar sua mãe, pois estava doente. Foi deportado à Polônia pelo Serviço Federal de Inteligência, acusado de terrorismo.

 O jovem assegurou ainda que permanecerá no Estado Islâmico “servindo com seus irmãos”.

 Durante suas declarações, afirmou que nos ataques nos quais participou viu “a mão de Alá e seus milagres”.

 “Quando estive lutando na Síria pude presenciar muitos milagres feitos por Alá. O sangue do meu companheiro de combate que morreu nos meus braços exalava um aroma do paraíso. Senti uma enorme alegria por estar com ele enquanto morria”, recordou.

 Em seguida, Adam A1 N comentou que não quer viver na Polônia, “porque lá as pessoas são escravas”. “Quero ser livre dentro do Estado Islâmico”, ressaltou.

 “Convertam-se enquanto é tempo”, adverte o jovem terrorista. Caso contrário, ameaça: “morrerão como infiéis. É a lei de Alá. Nós sairemos vitoriosos. Chegaremos à Roma, à Praça de São Pedro e faremos execuções massivas de infiéis”.

 O jovem assinala que faz parte da fé islâmica porque é “a religião da verdade” e que “hoje em dia Jesus seria muçulmano”.

Fonte: ACI Digital
Há poucos dias alguém que me perguntava o que havia de bonito em ser católico. Comecei pelo “Senhor tem piedade” e terminei pelo “Cordeiro que tiras o pecado!” Acentuei a doutrina do perdão, dos bem aventurados e salvos, dos perdoados e perdoadores, a universalidade, a busca permanente da unidade, o desejo sincero de auto-superação, os sacramentos e a eucaristia. Listei pelo menos cinqüenta valores!

Posso imaginar o bonito de ser judeu, islâmico, ortodoxo ou evangélico. Se acho bonito ser católico, porque não seria bonito para eles ser membros das religiões e igrejas nas quais se sentem mais próximos de Deus? Um ex-crente afirmava, num artigo recente, que, agora, sua vida era mais livre e mais bonita. O ateísmo o libertara! Como não estou na pele dele, não o julgo. Sei de crentes e ateus felizes e de crentes e ateus infelizes. Ele parecia estar feliz! Bom para ele e bom para mim, que também sou feliz!

Mas não é tudo assim tão automático! Não é por comprar novos aros e novas lentes que enxergarei melhor. Não é por ir ao culto e sentir emoções que me torno automaticamente bom católico. Mas se as lentes me ajudarem a sair da minha miopia e, se a intervenção a laser me corrigir as distorções, certamente verei melhor e se tiver uma boa visão de mundo e de pessoa serei mais feliz. Isto de ser feliz tem muito a ver com as visões e abrangências do coração.

A religião pode ajudar oferecendo serenidade, posto que os serenos costumam ser mais felizes. Minha igreja me oferece isto! Sinto pelos outros que não acham pedagogia e perdão no catolicismo. Eu acho!

Aqui entram as religiões e igrejas bonitas! Vão além da estética de seus cultos e da ousadia de suas promessas e milagres. Jesus caracteriza isso com os conceitos de mansidão, coragem, abertura de coração, defesa firme da vida em todos os seus estágios! Chega-se ao céu através do que se faz pela vida na Terra! Corre o risco de perder o céu quem brinca de ser dono da vida e da verdade!

Proclamo que é bonito ser católico não apenas por ver o que Deus fez e faz por meio dos seus santos, nem apenas pelos santos que ele fez e faz. Os santos são corolários. Essencial é a busca da justiça e da paz! Proclamo que é bonito ser católico não apenas pelas nossas doutrinas, que acho elevadas e exigentes e até difíceis de cumprir, mas pela compaixão e misericórdia implícitas nos cultos e nos sacramentos que celebramos. Proclamo, ainda, que é bonito ser católico quando olho para o Vaticano com suas enormes colunas em curva que parecem dois braços abertos e sem portões. Entra quem quer e sai quem quer para ouvir nossa mensagem proclamada nas quartas feiras, pelo Sumo Fazedor de Pontes, o Papa.

Em cima daquelas colunas há inúmeras imagens de santos de ontem a lembrar aos de baixo, candidatos de hoje à santidade de sempre, que sem abertura de coração e de mente não vai dar certo! Não, num mundo carente de diálogo e cada dia mais distante dele!

Mais: gosto da coragem dos papas e dos bispos que não têm medo de dizer o que deve ser dito e conseguem dizê-lo de um jeito diplomático e humano. Diria muito mais, mas foi um pouco do que eu disse!

Fonte: padrezezinhoscj.com

terça-feira, 25 de agosto de 2015

“Só nas Santas Missões nós temos jeito novo de comunidade. Por amor à missão deixo tudo, quero ser evangelizador.”

Caríssimo irmão e irmã,

estamos continuando nossa caminhada das Santas Missões Populares para celebrar com grande louvor o Jubileu de ouro da nossa Diocese, deixando que o Espirito Santo de Deus nos conduza.

Já realizamos o 1º Retiro Diocesano das Santas Missões Populares. O próximo passo a ser dado é que cada Paróquia realize o seu 1° Retiro Paroquial Missionário.

Para melhor preparar este retiro, propomos um dia de formação com os 3 representantes de cada Paróquia e o (a) coordenador (a) paroquial das SMP que são os responsáveis por multiplicar e articular os retiros nas suas respectivas paróquias.

- É fundamental que cada missionário traga o seu manual das SMP.
- A paróquia que ainda não tem os cantos das SMP, por favor trazer um pen drive ou CD para repassarmos este material.

Local: Paróquia São Francisco
Data: 05/09/15
Horário: 8:30 às 17:00
Taxa: R$ 10,00 (Para o almoço e lanches)

Que Deus nosso Pai conforme sempre mais o nosso coração ao Coração de Jesus e Maria Nossa Mãe Imaculada Conceição interceda sempre pela nossa Diocese em missão. 

Com minha bênção: 

+ Armando Martín Gutíerrez
Bispo de Bacabal

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Começou neste sábado (22), o tradicional festejo de São Raimundo Nonato, no Bairro Santos Dumont.

Inspirado no modelo do santo que viveu no século XIII e que continua sendo exemplo para todos os cristãos, os fiéis prolongarão esses dias de homenagem até o dia 31, quando do encerramento da festa, que esse ano traz como tema: “São Raimundo nos ensina que a paz é fundamental para uma sociedade justa e fraterna”.

Na primeira noite do festejo, centenas de pessoas acorreram ao centro comunitário para participar da Missa de abertura, presidida por Frei Ribamar, administrador paroquial. As legionárias assumiram a liturgia da noite, que deu atenção especial à figura de Nossa Senhora, reforçada pelo sacerdote que em sua homilia destacou que “Maria olhou para Deus. E neste tempo de dificuldades, devemos também olhá-lo. Fez assim também São Raimundo Nonato, que é exemplo e nos mostra o quão grandioso é o amor de Deus”. “Santos são setas indicadoras, são instrumentos e meios eficazes de nos aproximarmos mais de Deus. E nesses dias de reflexão, queremos firmar compromisso de escutar a Palavra de Deus e pô-la em prática, como pediu Jesus”, reforçou. 

Durante todo o festejo, após a missa os fiéis poderão compartilhar bons momentos na parte social da festividade em honra a São Raimundo. Para isso, foi montada uma estrutura que oferece variado cardápio de lanche, além da boa convivência com os irmãos e irmãs de diversos pontos da cidade e nossas comunidades. 

Na penúltima noite do festejo (30) ainda haverá o bingo cujo prêmio principal é uma moto FAN 0km. As cartelas estão sendo vendidas nas comunidades da Paróquia Sant’Ana ou com os membros de pastorais e movimentos da Comunidade São Raimundo no valor de R$ 10,00+

Confira algumas fotos da missa de abertura:


Fotografia: Lourival Albuquerque 

Na paz do Cristo ressuscitado saúdo a todos os bispos, coordenadores de pastorais, CRB, Coordenadores dos Conselhos Missionários Diocesanos (COMIDIS), CIMI, Organismos, Movimentos e Grupos da Igreja do Maranhão a participarem da realização desse 1 º Encontro de Animação Missionária.

Tema: Missão e cooperação missionária
Orientações para a animação missionária da Igreja no Brasil.
Data: 11 a 13 de setembro de 2015.
Local: Casa dos Combonianos/ Olho D'água - São Luis.
Inscrição: RS 100,00

Como Povo de Deus, pastores e pastoras, peregrinamos todos, com os olhos fixos em Jesus Cristo que nos chama, nos ensina, nos ama e nos envia como seus discípulos(as), missionários (as) a servir aonde o Espirito Santo nos conduzir.

Buscamos viver esse chamado e vocação à Luz do Evangelho e em comunhão com a Igreja: "EVANGELIZAR, a partir de Jesus Cristo, na força do Espirito Santo, como Igreja discípula missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida, rumo ao Reino definitivo".

Este é o Objetivo Geral das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil  ( DGAE ) 2015-2019 / Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) /  Documento 102.

Iluminados por ele é que nos alegramos a convidá-los para vivenciarmos esse milagre do encontro, da partilha do saber coletivo, da festa ao redor da eucaristia, dos filhos e filhas de Deus, subindo na barca com Jesus para a outra margem sem medo na confiança do Pai, para um lugar retirado sobre uma alta montanha" ( Mc 9, 2 ).

Motivação não nos falta! Por tudo que estamos experienciando em nossas dioceses, como uma explosão do amor divino! Santas Missões Populares, encontros de Juventude, congressos, nascimentos de Conselhos Missionários Diocesanos (COMIDIS) e COMIPAS, seminários da Romaria da Terra e das Águas, pelas conquistas dos nossos irmãos indígenas e quilombolas.

Como Dom Esmeraldo nos recordou por ocasião do 2 º Congresso Missionário Nacional de Seminaristas: iluminando com os documentos da Igreja que é peregrina, missionária por natureza AG2): essa é sua vocação própria, sua identidade mais profunda (EN14): sua razão de ser, sua essência estruturante e seu serviço á humanidade " (DAp 5.2) A Igreja aspira por um renovado ardor da missão.

Portanto , a Igreja é chamada a estar "em saída" com o seu Senhor que sabe ir à frente, sabe tomar iniciativa sem medo, ir ao encontro, procurar os afastados, chegar ás encruzilhadas dos caminhos para convidar os excluídos. A missão é de Deus, o Espirito Santo é o Protagonista, somos servos e servas colaboradores. Ouvi e Atendei! Vinde e Vede!

Pedimos aos Bispos com os Coordenadores de Pastorais e COMIDIS que enviem pelo menos cinco participantes por diocese

Agradecemos e saudamos a todos com carinho missionário.

Segue as tarefas de cada diocese nesse Encontro.
Equipes de trabalho para o encontro:

Equipe de Comunicação/ Secretaria: Gean, Vitor, Ir. Prudência, Ir. Brandina, Ir. Cristina.

Cada Diocese prepare um painel, cartaz ou banner com fotos das atividades missionárias de sua diocese, filme, testemunho, slides.

Equipe de Acolhida: Dioceses de Carolina, Viana e Coroatá.

Equipe de Animação/Liturgia: Diocese de Bacabal, Pinheiro e São Luis.

Equipe de Ambientação e Ordem: Dioceses de Grajaú, Balsas, Caxias.

Equipe de Fraternidade e cultura ( noite cultural): Diocese de Imperatriz, Zé Doca e Brejo. Pedir que cada participante leve uma lembrança para trocar na noite cultural.

Equipe COMIRE, via Facebook

sábado, 22 de agosto de 2015

Caríssimos irmãos e irmãs,

este ano a Igreja nos convida a refletir duas coisas importantes: a paz, sem a qual não podemos viver e que é tarefa da Igreja promovê-la, a partir de sua tarefa missionária de anunciar Jesus Cristo e seu Reino, empenhando-se em buscar sensibilizar outros segmentos da sociedade para enfrentar a violência, que atinge de modo arrasador a vida, a dignidade humana e as culturas; e a vida consagrada, lembrando especialmente aqueles que escolheram ter uma vida em Cristo, entregando-se por inteiro e colocando-se a serviço de Deus.

Tendo em vida este percurso, escolhemos para o Festejo em honra ao nosso padroeiro o tema: "São Raimundo nos ensina que a paz é fundamental para uma sociedade mais justa e fraterna" e temos a certeza que estes dias serão vividos com muita espiritualidade, fé, compromisso em fazer valer esses projetos e sobretudo, em comunhão. 

São Raimundo Nonato, como pertencente à Ordem das Mercês, entendeu muito bem o sentido e o valor da vida religiosa consagrada. Sua percepção foi tão forte que percebeu que não poderia ter paz sem proporcionar a paz entre os seus irmãos, principalmente aqueles que estavam cativos e abandonados à própria sorte. Demonstrando coragem, doou sua própria vida em favor deles.

Esses testemunhos de vida, tantos dos nossos santos queridos quanto aos inúmeros santos da vida contemporânea motivam nossas celebrações do dia 22 a 31 de agosto. Convidamos você sua família para estar conosco vivendo esses dias de graça e santidade.

Que Deus abençoe a todos!

FREI RIBAMAR CARDOSO LIMA - ADMINISTRADOR PAROQUIAL
& CONSELHO COMUNITÁRIO

PROGRAMAÇÃO

Dia 22 / Sábado
Subtema: Maria, mãe do Salvador, o príncipe da paz
Liturgia: Legião de Maria
Convidados: Comunidades Palmeiral e Pinto Teixeira
Leilão: Ruas 16, 17, Congonhas e Geraldo Pinto
Animadores: Lidu, Valdimira, Silvani, Mª do Rosário, Martinha, Aldenora e Pedro Calado, Ivan e Paula.

Dia 23 / Domingo
Subtema: Só tu, Senhor, tens palavras de vida eterna
Liturgia: Pastoral Familiar
Convidados: Comunidades Santo Antonio e Nossa Sra. de Fátima
Leilão: Ruas Galeão, Augusto Severo, São Francisco, Tirirical
Animadores: Nego, Oneide, Raimunda, Deusa, Graça e Maria Luz

Dia 24 / Segunda-Feira
Subtema: O Filho do Homem torna-se acessível a todos que o buscam sem cessar
Liturgia: Comunidade Santa Luzia
Convidados: Comunidades Santa Luzia e N. Sra. da Conceição
Leilão: Ruas Silva Neto, Otávio Pinho, Jurandir Lago, Bete Lago, Raimunda Loiola e São Domingos
Animadores: Nonata, Rosa, João Mota, Rosa Rocha, Luzinha e Francisca

Dia 25 / Terça-Feira
Subtema: Jesus nos chama a viver a justiça, a misericórdia e a fidelidade
Liturgia: Coroinhas
Convidados: Comunidades Nossa Senhora Rainha da Paz, São José e Nossa Senhora de Nazaré (Povoado Lagoa Perto)
Leilão: Ruas 01, 02, 03, 04, 05, 06 e 07 - Vila São João
Animadores: Joseleide, Eleomar, Sílvia, Jesus, Cássia, Josiel,  Leila e Jeferson, Iranilson e esposa, Elmer e esposa, Teresinha e esposo, Socorro e esposo

Dia 26 / Quarta-Feira
Subtema: O amor de Deus se realiza naquele que guarda sua Palavra fielmente
Liturgia: Juventude
Convidados: Comunidades Matriz e São Pedro (Pov. Pau D’Arco)
Leilão: Ruas 01, 02, 03, 05, 10, 13, 14 - Bairro Santos Dumont
Animadores: Nadir, Jucelino, Eldo, Lídia, Duda e esposo, Cláudia e Fernando

Dia 27 / Quinta-Feira
Subtema: "Vigiai e orai", diz o Senhor
Liturgia: Terço dos Homens
Convidados: Paróquia Santa Teresinha
Leilão: Ruas 06, 07, 08, 09 e 18 - Bairro Santos Dumont
Animadores: Aldevan, Teresa, Raimunda, Daurisete, Neódema e Vanusa, Iane, Elivandro e Daniele

Dia 28 / Sexta-Feira
Subtema: A busca da santidade é ir ao encontro de Cristo
Liturgia: Missionárias de Madre Teresa
Convidados: Comunidade São João Batista e Pov. Capoeira
Leilão: Rua 1° de Maio e Tavares de Moura
Animadores: Suely, Cleciane, Betinha, César e esposa, Dugum e esposa, Rosilene e Maria da Paz

Dia 29 / Sábado
Subtema: O profeta é chamado a proclamar a justiça e a fidelidade
Liturgia: Pastoral do Dízimo e Amigo das Vocações
Convidados: Paróquia São Francisco
Leilão: Ruas Filomeno Parga, Artur Azevedo e Frederico Leda
Animadores: Cruz, Ivonete, Dos Santos, Maria José, Livramento, Ana Brandão e Telma

Dia 30 / Domingo
Subtema: Jesus nos convida a viver uma fé viva e eficaz
Liturgia: Catequistas
Convidados: Todos os catequistas da Paróquia
BINGO

Dia 31 / Segunda-Feira
Tema central: São Raimundo nos ensina que a paz é fundamental para uma sociedade mais justa e fraterna
Liturgia: Pastoral Litúrgica
Convidados: Todas as comunidades paroquiais e devotos de São Raimundo Nonato
LEILÃO

IMPORTANTE:
22 a 31/08: Vendas de churrasquinho, pastel, salada de frutas, caldo, cachorro quente e batata frita.
Dia 30/08: Grande bingão.

Dia 31/08: procissão luminosa, às 18:00h, saindo da comunidade e encerrando-se com a Missa. Logo após haverá leilões.

Fonte: Conselho Comunitário

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

A Pastoral da Juventude do Maranhão divulgou a carta final do 5º Encontro Estadual de Base, ocorrido de 17 a 19 de julho de 2015, na cidade de Caxias (MA), com o tema: “Grupo de Jovens e Participação Social”.

A carta contém as proposições elaboradas pelos jovens participantes do encontro a partir das mini plenárias que estudaram a participação social da PJ em seus 30 anos de caminhada no Maranhão, as formas de participação estudantil e popular e a Igreja como escola de formação de lideranças. Na carta, os jovens se comprometem com a construção de um mundo novo através da organização na Igreja e na sociedade, e a ainda assumem o Projeto ROTA 300 da CNBB como forma de lutar por um meio ambiente saudável e equilibrado.

Confira a carta completa com os compromissos assumidos:

5º ENCONTRO ESTADUAL DE BASE
TEMA: GRUPO DE JOVENS E PARTICIPAÇÃO SOCIAL
LEMA: EU VIM PARA SERVIR! (Mc10,45)

Carta da Juventude presente no V Encontro Estadual de Base

Nós, jovens, reunidos na cidade de Caxias nos dias 17, 18 e 19 de julho de 2015, por ocasião do V Encontro Estadual de Base da Pastoral da Juventude e esperançosos na fé que temos em Jesus Cristo, o Jovem Galileu, afirmamos e reafirmamos o nosso compromisso com as juventudes de anunciar e ajudar a construir o Reino de Deus que é Amor, Paz, Justiça e Solidariedade, em especial, em meio aos adolescentes e jovens empobrecidos e marginalizados.

Durante todo o encontro, estudamos e refletimos as mais variadas formas de luta e envolvimento da juventude no meio social em que está envolvida, como os grêmios e diretórios estudantis, conferências e conselhos de direitos e o grupo de base como espaço de formação de lideranças para a Igreja e a sociedade no intuito de deixarmos de lado a cultura do “Eu”, para voltarmos a sentir que precisamos uns dos outros, que temos uma responsabilidade para com os nossos irmãos, (Laudato Si – n° 229), e que possamos cativar e cultivar a cultura do cuidado porque “Eu sou nós” (Zé Vicente).

Inspirados pelos companheiros e companheiras que fizeram a história da PJ do Maranhão nos últimos 30 anos, somos convocados a nos lançarmos na vida por grandes ideais, pois, não fomos escolhidos pelo Senhor para coisinhas pequenas, mas para grandes coisas (Papa Francisco). Por isso, abraçamos, como Pastoral da Juventude do Maranhão, as seguintes ações para o fortalecimento da nossa caminhada em cada comunidade onde há um grupo de jovens se reunindo:

- Lutar pela efetivação de políticas públicas de juventude no município através da participação nos conselhos municipais;

- Criar grêmios, conselhos livres e grupos em escolas com a participação e o apoio da PJ;
- Promover a formação social dos jovens nas escolas, praças, grêmios estudantis, a partir de subsídios sobre participação social juvenil;
- Exercer o protagonismo juvenil através da defesa da vida, lutando contra todas as formas de extermínio de jovens no campo e na cidade e, especialmente agora, contra a redução da maioridade penal;
- Investir na formação de assessores adultos apaixonados pela juventude para melhorar o acompanhamento aos grupos de jovens em todas as dioceses;
- Assumir o Projeto Rota 300 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, promovendo debates com a sociedade civil organizada e com o Poder Público sobre as questões sócio-ambientais e ecologia;
- Discutir, informar, conscientizar e estimular ações concretas de preservação e reflorestamento das margens dos rios, nascentes e mananciais, nas comunidades, paróquias e dioceses do Maranhão.

A juventude tem um coração missionário.  Ousamos Crer e que a nossa fé tenha sido fortalecida e renovada nesse encontro onde comungamos do mesmo pão, dos mesmos sonhos, lutas e desafios. Voltemos às nossas casas, paróquias e cidades levando em nossas malas a alegria, a disposição e o compromisso de partilhar toda essa experiência incrível com a certeza de que o Senhor nos chama, ama e envia para continuarmos construindo a nossa história tão rica e envolvente.

Que a nossa querida Mãe, a Negra Mariama, nos acompanhe nessa jornada e que ela seja nosso modelo, a Estrela Guia para seguirmos os passos do Cristo Jovem.

Amém, Axé, Awerê, Aleluia, PJ.

Colaborou Marlon Barros Cardoso - Secretário Regional da PJ do Maranhão, Regional Nordeste 5, Maranhão
Muitas pessoas ficam desconcertadas ao verem o mal campear no mundo, sem que Deus pareça tomar parte na angústia dos que são vítimas da violência e da injustiça. Às vezes parece que Deus se torna mudo diante do nosso sofrimento; mas não é assim.

Alguém já disse que “Deus não fala, mas que tudo fala de Deus”. Isto é, Deus fala pela Revelação e pela vida, mas esta linguagem tem de ser decifrada. Seus silêncios aparentes são sábios e nos obrigam a exercitar o ouvido da alma, e criar novas antenas e ouvidos interiores, para ouvir a sua voz. Não é que Deus não fale, somos nós que não captamos sua palavra.

Deus não é indiferente diante dos acontecimentos deste mundo. Sempre pesou sobre a mente dos homens a aparente indiferença de Deus diante do desenrolar dos acontecimentos neste mundo. O povo sente-se, por vezes, desanimado e propenso a “fazer como todo o mundo faz”, visto que ser reto e digno parece custar muito caro e não trazer proveito. Até o salmista tem a tentação de agir como os maus (…), mas depois entende a sua triste sorte:

“Por pouco meus pés tropeçavam; um nada, e meus passos deslizavam. Porque invejei os arrogantes, vendo a prosperidade dos ímpios. Para eles não existem tormentos, sua aparência é sadia e robusta; a fadiga dos mortais não os atinge, não são molestados como os outros (…).

Refleti para compreender, e que fadiga era isto aos meus olhos! Até que entrei nos santuários divinos: entendi o destino deles! De fato, tu os pões em ladeiras, tu os fazes cair em ruínas. Ei-los num instante reduzidos ao terror, deixam de existir, perecem por causa do pavor! (…), Sim, os que se afastam de Ti se perdem (…). Quanto a mim, estar junto de Deus é o meu bem!” (Sl 72, 2-5. 16-19. 27s)

A Bíblia nos mostra que é exatamente nos momentos de maior luta, conflito, desespero e perplexidade que Deus prepara as suas ações mais belas.

A Páscoa cristã e a glória da Ressurreição de Jesus foram precedidas da cruel e dolorosa Paixão do Senhor, que deixou os apóstolos atônitos e perdidos. Mas, na manhã do domingo, ficou claro que o “fracasso” do Mestre se transformara em inacreditável vitória sobre a morte. Então, tudo se fez novo (…). Ele ressuscitou como o Kýrios, o Senhor da vida e da morte; a vida venceu a morte, as trevas foram dissipadas pela luz.

É no silêncio de Deus que o cristão aprende a crescer na fé e na confiança no Senhor. Não sejamos crianças na fé.

Nesse silêncio sagrado somos obrigados a apurar os ouvidos interiores e a criar novas antenas para tentar compreender a vontade de Deus.

É preciso, então, não se deixar afundar na hora da tormenta, mas esperar com fé na Providência divina que não falha. No meio do fogo das tribulações, é preciso continuar a caminhar, ainda que gemendo e chorando, “como se visse o invisível” (Hb 11,27).

Este “avançar na fé” pode ser comparado a um complicado jogo de “quebra-cabeça”; no seu início não temos a menor ideia do quadro a compor, parece que o “quebra-cabeça” não tem solução, a charada é desafiadora; mas, devagar, com paciência, vamos juntando as peças (…) começa a surgir alguma coisa. Ao se combinar as peças começa a surgir o quadro, e então, vai ficando cada vez mais fácil, até o fim.

A vontade de Deus para nós é assim; os fatos da vida, isolados, parecem não ter sentido, mas, quando os vamos juntando na fé e analisando-os na esperança, vemos a sua mensagem. Às vezes é preciso olhar peça por peça, sem saber qual é a próxima que virá. Mas é preciso ir em frente, caminhar com perseverança.

A grande Edith Stein disse uma bela verdade: “Não sei para onde Deus me leva, mas sei que é Ele me conduz”. Isto basta.

Não podemos esperar que a mensagem esteja decifrada para começar a caminhar; assim não começaríamos nunca a viagem. Nunca encontraremos um discurso de Deus para nós, pronto e claro, e nem um caminho nitidamente traçado; não, Deus nos conduz no escuro da fé, onde Ele vai nos falando durante o caminho, como fez com os discípulos de Emaús. E, se não caminharmos, não ouviremos a Sua voz.
Por que Ele age assim? Na sua sabedoria infinita Ele tem motivos para agir assim conosco; logo, cabe a nós não nos calarmos diante Dele, mas responder na fé e na oração incessante.

“O justo vive da fé” (Rm 1,17; Gl 3,11; Hb 10,38). Mais do que a nossa vitória, Deus espera a nossa luta determinada, com fé e perseverança.

Ninguém conhece os caminhos da Providência divina, por onde Ele passa, o que quer com este golpe, o que está fazendo com esta aflição, morte, fracasso, desemprego (…).

Muitas Ordens religiosas foram provadas terrivelmente até se firmarem. Mas, porque os seus fundadores não desanimaram e não desistiram, a Igreja se tornou rica e santa por causa delas.
Deus não é um ser mudo; Ele se revelou e revelará; se Ele, por vezes, parece calar-se, Ele o faz sábia e providencialmente.

Professor Felipe Aquino
Bispos referenciais para a Liturgia, vindos de 12 regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), participam de encontro desde terça-feira, 18, na sede das Pontifícias Obras Missionárias, em Brasília (DF). O evento é organizado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia.

Entre as atividades realizadas houve partilha da realidade litúrgica dos regionais, discussão sobre as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) no contexto da liturgia, além de abordagens sobre as celebrações dominicais da Palavra de Deus e os roteiros homiléticos.

Ainda estão na pauta debates a respeito da liturgia e os meios de comunicação e sobre formação litúrgica, tanto nos seminários e casas de formação, quanto para diáconos e outros membros da Igreja.

Com informações e fotografia das Pontifícias Obras Missionárias (POM)

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Grande multidão saudou o Santo Padre que, da janela do Palácio Apostólico, referiu que nestas semanas o Evangelho de S. João nos tem proposto o discurso de Jesus sobre o ‘Pão da Vida’, que é Ele mesmo e também o sacramento da Eucaristia.

A passagem do Evangelho deste XX domingo do Tempo Comum, no capítulo 6 de S. João, relata que algumas pessoas se escandalizaram porque Jesus disse: “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna e eu o ressuscitarei no último dia”.

Segundo o Papa Francisco, Jesus usa o estilo dos profetas para provocar em nós perguntas e decisões. Quando afirma “comer a carne e beber o sangue”, o que significa isto então? É só uma imagem ou é qualquer coisa de real? – perguntou o Santo Padre.

Para termos uma resposta é preciso intuir o que acontece no coração de Jesus enquanto parte o pão para a multidão esfomeada. Sabendo que deverá morrer na Cruz por nós, Jesus identifica-se com aquele pão partilhado e isso torna-se para Ele um ‘sinal’ do sacrifício que o espera – sublinhou o Papa que salientou as palavras de Jesus: “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em Mim e eu nele”. A comunhão é assimilação, pois tornamo-nos como Jesus. Mas para isso é preciso o nosso sim, a nossa adesão de fé – afirmou o Santo Padre.

“Mas a Eucaristia não é uma oração privada ou uma bela experiência espiritual, não é uma simples comemoração daquilo que Jesus fez na Última Ceia: a Eucaristia é ‘memorial’, ou seja, um gesto que atualiza e torna presente o evento da morte e ressurreição de Jesus: o pão é realmente o seu Corpo dado por nós, o vinho é realmente o seu Sangue versado por nós.”

“ A Eucaristia é o próprio Jesus que se dá inteiramente a nós. Nutrirmo-nos d’Ele e morar n’Ele mediante a comunhão eucarística, se o fazemos com fé, transforma a nossa vida num dom a Deus e aos irmãos. Nutrirmo-nos do Pão da Vida significa entrar em sintonia com o coração de Cristo, assimilar as suas escolhas, os seus pensamentos, os seus comportamentos. Significa entrar num dinamismo de amor e tornarmo-nos pessoas de paz, de perdão, de reconciliação, de partilha solidária.”

Após a recitação da oração do Angelus o Papa Francisco saudou todos os fiéis presentes, em particular, os muitos jovens do Movimento Juvenil Salesiano reunidos em Turim nos lugares de S. João Bosco para celebrar o bicentenário do seu nascimento.

O Papa Francisco a todos desejou um bom domingo e um bom almoço pedindo que não nos esqueçamos de rezar por ele.
Terminou ontem (16), o  tríduo de Nossa Senhora Rainha da Paz, o que motivou centenas de pessoas à participação na festa religiosa.

O último dia de festejo começou com a procissão luminosa, que percorreu algumas ruas do bairro Vila da Paz, fazendo momentos de paradas de reflexões, orações e cânticos, tudo isso em louvor a Deus, a Jesus e à sua mãe, Maria. 

Ao chegar novamente ao ponto de partida, Padre Jonas presidiu a celebração da Santa Missa. Nela, destacou a festa celebrada naquela noite: a Assunção de Nossa Senhora. Na sua reflexão, disse que "o dogma da assunção de Nossa Senhora foi uma resposta ao povo de Deus, que queria saber qual o destino daquela que entregou-se totalmente ao projeto de Deus".
Ao final da celebração, toda a comunidade parabenizou Padre Jonas, e através dele, rezou por todos os religiosos e religiosas, que na ocasião celebravam o seu dia. Logo após a bênção, todos participaram da parte social do festejo que finalizou-se com o bingo da comunidade, cuja renda servirá para ajudar na construção do templo naquela localidade.

Segue algumas fotos:


Fotografia: Lourival Albuquerque
“A Vida Consagrada tem como vocação, missão e profissão dos votos religiosos, condição de destaque dentro do Corpo Místico de Cristo”, disse o arcebispo de Porto Alegre (RS) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Jaime Spengler.

Por ocasião do Dia da Vida Consagrada celebrado neste domingo, 16 de agosto, a Comissão emitiu mensagem de agradecimento ao empenho e dedicação de homens e mulheres que doam-se pela evangelização. “A Igreja no Brasil também reza para que o Senhor continue despertando vocações para as diversas expressões de Vida Consagrada”.

Ainda, no texto, dom Jaime recorda as palavras do papa Francisco que exorta aos consagrados a serem “presenças alegres, pessoas capazes de despertar o mundo, homens e mulheres peritos em comunhão, dispostos, bem-dispostos para irmos às periferias existenciais, inquietos sobre o que pedem Deus e a humanidade de hoje”.

Confira a integra da mensagem

Caros irmãos e irmãs,

Ano da Vida Consagrada e, neste terceiro domingo do mês de agosto estamos celebrando, em nossas Igrejas Particulares, o dia dos Consagrados e Consagradas.

Louvamos a Deus por todo bem realizado por uma miríade de homens e mulheres que fizeram e fazem da consagração resposta de amor “ao chamamento do Pai e à moção do Espírito”, e por isso “escolheram este caminho de especial seguimento de Cristo, para se dedicarem a Ele de coração indiviso” (VC 1).

Sabemos que “a Igreja não cresce por proselitismo, mas por atração” (Bento XVI). Somos, assim, mais uma vez recordados de que a “vida consagrada não cresce, se organizarmos belas campanhas vocacionais, mas se as jovens e os jovens que nos encontram se sentirem atraídos por nós, se nos virem como homens e mulheres felizes. De igual forma, a eficácia apostólica da vida consagrada não depende da eficiência e da força dos seus meios. É a vossa vida que deve falar, uma vida na qual transparece a alegria e a beleza de viver o Evangelho e seguir a Cristo” (Papa Francisco).

Caro irmão e cara irmã, em celebrando esse dia somos recordados de que a Vida Consagrada tem como vocação, missão e profissão dos votos religiosos, condição de destaque dentro do Corpo Místico de Cristo. Trata-se de uma realidade que pressupõe longo tempo de preparação para assumir publicamente, sob juramento, essa profissão.  É um projeto de vida marcado pelo dom da vocação, e que requer incumbência, disposição para realizar uma tarefa característica, além de determinação para assumir compromisso público.

O caminho assumido tem a característica de tarefa. Tarefa de nos empenharmos sempre de novo, continuadamente em despertar, conservar e fomentar o elã e a necessidade de querer e aprender a ser cada vez mais discípulo de Jesus Cristo; de querer estar em forma na aprendizagem dessa nobre e sublime arte de ser uma pessoa consagrada. Quem assim abraça a Vida Consagrada não envelhece; conserva por toda a vida a limpidez, a jovialidade, a alegria que o encontro com o Senhor proporcionou e continua proporcionando para sustentar o compromisso assumido, o caminho iniciado.

O Papa Francisco nos exorta a sermos presenças alegres, pessoas capazes de despertar o mundo, homens e mulheres peritos em comunhão, dispostos, bem-dispostos para irmos às periferias existenciais, inquietos sobre o que pedem Deus e a humanidade de hoje.

A Consagração da vida é um sinal importante para o mundo. “Sem este sinal concreto, a caridade que anima a Igreja inteira correria o risco de se resfriar, o paradoxo salvífico do Evangelho, de se atenuar, o ‘sal’ da fé, de se diluir num mundo em fase de secularização” (Paulo VI).

Caro irmão e cara irmã, possa a celebração do Dia da Vida Consagrada despertar em todos nós o desejo de poder continuar, ainda com maior vigor e entusiasmo; de levar adiante nossa disposição de servir ao Senhor em justiça e santidade todos os dias de nossa vida.

Deus seja louvado pelo dom da Vida Consagrada! A Igreja do Brasil reconhece e agradece o empenho, a dedicação destas mulheres e homens que com intrepidez promovem a obra da Evangelização no imenso território destas Terras de Santa Cruz! A Igreja no Brasil também reza para que o Senhor continue despertando vocações para as diversas expressões de Vida Consagrada.

“A vida consagrada é dom feito à Igreja: nasce na Igreja, cresce na Igreja, está totalmente orientada para a Igreja” (Cardeal Bergóglio).

Em Cristo,

 Dom Jaime Spengler

Arcebispos de Porto Alegre

Presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada

sábado, 15 de agosto de 2015

Começou ontem (14) o Tríduo em honra à padroeira em honra a um dos mais novos bairros da cidade: a Vila da Paz.

Católicos de todas as comunidades da Paróquia fizeram-se presentes na celebração de abertura, presidida por Padre Cláudio, que na oportunidade batizou dois novos membros da comunidade de fé. Em sua mensagem ao povo de Deus ali reunido, falou da importância da família, referindo-se à Semana Nacional da Família, destacando o valor da família no plano salvífico de Deus e as vocações. Aproveitou também a oportunidade para reforçar que o principal objetivo do festejo não é o financeiro, embora seja necessária a construção de uma igreja na localidade, mas o principal é a reconciliação das famílias, o surgimento de lideranças, o fortalecimento da fé e das pastorais. 
Ao final da celebração, todos puderam participar da parte social do tríduo, que vai até domingo (16), com uma grande >>programação.

Confira algumas fotos;

Fotografia: Lourival Albuquerque
Desde o último domingo (09), a Igreja vivenciou e celebrou em todo o Brasil a Semana Nacional da Família, que este ano trouxe como tema "O amor é nossa missão". 

Várias experiências em nossa paróquia foram realizadas, a exemplo da Comunidade Santa Luzia, no Bairro Pantanal. Impelidos pelo mandato de Jesus de ir em missão e o apelo do Papa Francisco em sermos uma "Igreja em saída" todos os encontros da SNF foram realizados nas ruas, nas portas das casas.

Aconteceram momentos de espiritualidade e exibições de vídeos que direcionavam-se às famílias, dando-lhes esperanças e fortalecendo a fé, muitas vezes adormecida. Bem aceita, essa proposta revelou-se eficiente, fazendo com que cada dia de reza aumentasse o número de pessoas participando. 

No penúltimo dia, a Comunidade também contou com a participação de membros da Pastoral da Família da Paróquia Sant'Ana e São Joaquim, que trouxeram sua mensagem de fé. O ápice da semana deu-se com a celebração campal da Santa Missa (dia 13), presidida por Padre Jonas e que acolheu inúmeras pessoas, de crianças até os idosos. A celebração finalizou-se com uma apresentação dos jovens da comunidade e um momento de partilha entre todos. 

Confira algumas fotos:

Fotografia: Lourival Albuquerque

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Caríssimos Irmãos e irmãs, é com imensa alegria e na força do Espírito Santo, que mais uma vez convidamos você e sua família, para participar do Tríduo de Nossa Senhora Rainha da Paz. O mesmo acontecerá no período de 14 a 16 de agosto de 2015, no bairro Vila da Paz. Cujo tema: “Maria: Senhora da Paz Servidora do Evangelho”. Através do exemplo de Maria, somos chamados a também viver verdadeiramente o amor de Deus e nesta oportunidade refletir também sobre a Campanha da fraternidade deste ano apontando para a esperança de servir: Essa esperança se nutre da entrega total de Jesus Cristo na cruz, para vencer as situações de morte e conceder a todos: o dom do amor, da caridade da solidariedade, enfim o dom de SERVIR.  

Sejam Bem Vindos.
Frei Ribamar Cardoso Lima
Conselho Comunitário.

PROGRAMAÇÃO

Dia 14/08/15  | Sexta-Feira
Liturgia: Comunidades São Raimundo Nonato e  Santa Luzia
Leituras: do dia
Comunidades convidadas: Nossa Senhora da Conceição / Porta Aberta, Santo Antonio, Terço dos Homens Paroquial e Comunidade Sagrada Família
Neste dia haverá batizados.

Dia 15/08/2015 | Sábado
Liturgia: Pastoral Familiar
Leituras: do dia
Comunidades convidadas: Matriz, Nossa Senhora de Fátima e Santa Luzia (Povoado Capim Duro)
Neste dia haverá casamento.

Dia 16/08/2015 | Domingo
Liturgia: Comunidades São João Batista, Nossa Senhora Rainha da Paz e São José
Leituras: do dia
Comunidades convidadas:  Pau D'arco, Lagoa Perto, Pinto Teixeira, Palmeiral, as pastorais e comunidades em geral.

Importante:
Dia 16 às 18:00h será a procissão luminosa, saindo da capela, percorrendo algumas ruas do bairro e retornando ao ponto inicial, onde encerra-se com a Santa Missa. 
Durante o Tríduo haverá venda de lanches, jantar e leilão e na última noite um bingo após a Missa. 

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

A imagem milagrosa de Nossa Senhora Aparecida foi encontrada no rio Paraíba do Sul, em São Paulo, no ano de 1717. Portanto, em 2017 a aparição da imagem completará 300 anos. Em comemoração à data, o Santuário Nacional de Aparecida está promovendo o Jubileu “300 anos de bênçãos”, com uma programação devocional e de fé.

Imagens peregrinas estão sendo enviadas a diversas arqui(dioceses) e Missionários Redentoristas levarão a cada capital do país uma imagem fac símile da Padroeira. Durante a peregrinação, serão colhidas porções de terra das capitais brasileiras para compor uma coroa especial para Nossa Senhora Aparecida.

A imagem chegou à capital maranhense, às 14:30h, do dia 10 (segunda-feira) e foi acolhida no Aeroporto Internacional Cunha Machado, pelo bispo auxiliar de São Luís, Dom Esmeraldo Barreto,  seguindo em carreata até a Igreja Nossa Senhora da Vitória – Catedral da Sé, no Centro. No final da tarde, às 18h, foi celebrada uma missa na Catedral marcando o início da visita da imagem peregrina.

Histórico
No ano de 1717, três pescadores, levados por necessidades históricas e econômicas, saíram a pescar, numa época escassa de peixes. Por ação misteriosa de Deus, chegando ao “Porto de Itaguassu”, a primeira coisa que caiu em suas redes foi o corpo de uma imagem quebrada, na altura do pescoço. Num segundo lance de rede, pescaram a cabeça da mesma imagem. Juntando as duas partes viu-se que se tratava de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição. Depois do encontro da Imagem, a pesca de peixes foi abundante e os pescadores intuíram a presença e ação de Deus naquele singular evento. Por assim ter aparecido, o povo chamou-a de “Aparecida”, nome consagrado pela devoção popular, chegando a ser proclamada Rainha em 1904, e Padroeira do Brasil em 1930.

Fonte: O Imparcial

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Uma das coisas que deve motivar a vida missionária é a espiritualidade, do qual ele deve cuidar e cada vez mais aprofundar. A Missa, portanto, é o centro desse processo. 

Foi assim que aconteceu no 1º Retiro Diocesano das Santas Missões Populares da Diocese de Bacabal: o último dia do encontro iniciou com uma grande celebração, presidida por Dom Armando e concelebrada pelos padres Figueiredo, Mateus e o diácono Johon Sidney, nas primeiras horas do dia do Senhor, com a Igreja Matriz de Sant'Ana e São Joaquim lotada.

"Estes dias o Senhor nos chamou para estar com Ele, preparar com Ele a missão e para nos enviar. E aqui estamos escutando a sua Palavra no início deste 3º dia do acordar para as Santas Missões Populares", disse o bispo que mostrou-se satisfeito com a participação ativa das paróquias, a fim de serem multiplicadoras desse processo de evangelização e que fortalecerá ainda mais o jubileu de nossa Diocese.

No dia em que o próprio Jesus define-se como o "Pão da Vida", Dom Armando também destacou que "a Eucaristia é o momento, o ponto fundamental da vida do cristão, do discípulo missionário, já que a Eucaristia é o centro da vida da Igreja; a nossa missão brota de lá". "É o alimento substancial do discipulo-missionário, que nunca pode faltar; é o "arroz e o feijão" da nossa mesa", disse ainda ele para ilustrar a importância que a participação na comunhão tem". E finalizou convocando a todos para viverem intensamente em suas vidas esse projeto que favorecerá e dará mais vida às comunidades onde forem realizadas as SMP's.

Em um dos momentos fortes da celebração, jovens da Paróquia local apresentaram a canção "Nossa Senhora", e um grande manto cobriu toda a Igreja, chegando também até aqueles que presidiam a Eucaristia, reforçando assim a fé de que a primeira missionária, a escolhida do Pai - Maria -, estará sempre acompanhando a vida de nossa Diocese. 
A cerimônia finalizou-se com os agradecimentos do bispo àqueles que vieram de tão longe para formar-se e preparar-se para esse momento importante da Igreja particular. E de forma especial, agradeceu o assessor, Padre Figueira e também Mariazinha, que também auxiliou na condução do encontro.

Após a missa, o retiro prosseguiu até o meio dia.

Confira algumas fotos: Missa (1º álbum) e o Encerramento do Encontro (2º álbum)



Fotografia: Lourival Albuquerque
Domingo, 9 de agosto, grande multidão na Praça de S. Pedro para o Angelus do Papa Francisco. O Santo Padre referiu-se ao Evangelho de S. João no seu sexto capítulo que marca o XIX Domingo do Tempo Comum.

Após o milagre da multiplicação dos pães, Jesus explica-nos o significado deste sinal – afirmou o Papa salientando que tal como tinha feito anteriormente com a Samaritana, partindo da experiência da sede e do sinal da água, Jesus na leitura deste domingo parte da experiência da fome e do sinal do pão para se revelar e convidar a crer n’Ele.

Jesus afirma que o verdadeiro pão descido do céu é Ele – continuou o Papa – que recordou que essa afirmação foi motivo de escândalo para muitos que o seguiam revelando que é assim que Jesus nos introduz na “dinâmica da fé”. Essa dinâmica é uma “relação” explicou o Papa pois não basta encontrar Jesus e ler a Bíblia para acreditar, é preciso a fé que só acontece quando deixamos que o Espírito Santo nos faz entrar “na relação de amor e de vida que há entre Jesus e Deus Pai”:

“Então, com esta atitude de fé, podemos compreender também o sentido do “Pão da Vida” que Jesus nos dá e que Ele exprime assim: “Eu sou o pão vivo, descido do céu. Quem come deste pão viverá para sempre e o pão é a minha carne para a vida do mundo”. Em Jesus na sua “carne” – ou seja, na sua humanidade concreta – está presente todo o amor de Deus, que é o Espírito Santo. Quem se deixa atrair por este amor vai em direção a Jesus com fé e recebe d’Ele a vida, a vida eterna.”

Quem viveu a experiência da fé de modo exemplar foi Maria, a Virgem de Nazaré: a primeira pessoa humana que acreditou em Deus acolhendo a carne de Jesus – sublinhou o Papa Francisco.

Após a recitação do Angelus o Papa Francisco referiu-se ao 70º aniversário dos bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki no Japão durante a II Guerra Mundial que aconteceram nos dias 6 e 9 de agosto em 1945. A este propósito o Santo Padre reafirmou a necessidade de repudiar sempre a guerra:
“Esta triste comemoração apela-nos sobretudo a rezar e a empenharmo-nos pela paz, para difundir no mundo uma ética da fraternidade e um clima de serena convivência entre os povos. De todas as terras se levante uma única voz: não à guerra, não à violência, sim ao diálogo, sim à paz! Com a guerra perde-se sempre. O único modo de vencer uma guerra é não fazê-la.”

O Papa Francisco exprimiu também a sua preocupação pelas recentes notícias que chegam de El Salvador, onde nos últimos tempos se têm agravado as condições da população e um aumento da violência devido à carestia e à crise económica. O Santo Padre encorajou o povo salvadorenho:

“Encorajo o caro povo salvadorenho a perseverar unido na esperança e exorto todos a rezarem para que na terra do beato Óscar Romero refloresçam a justiça e a paz.”

O Papa Francisco a todos desejou um bom domingo e um bom almoço e pediu que não nos esqueçamos de rezar por ele.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

O segundo dia do Retiro Diocesano das Santas Missões Populares foi de reflexões sobre a missão, coordenadas pelo Padre José Ângelo Figueira, da Diocese de Viana e que faz parte da coordenação das SMP no Maranhão. 

Ao longo do dia, foram realizadas várias atividades, dentre as quais um trabalho de grupo, onde os participantes tiveram que sugerir os objetivos das SMP’s na Diocese, assim como também escrever a oração que motivará a realização desse trabalho de evangelização. Divididos por grupos regiões pastorais, os missionários apresentaram esses trabalhos, que foram recolhidos pela equipe de secretaria e aperfeiçoados, para que pudessem ser novamente apresentados ao final do encontro. 

Em outro momento, o grupo da Infância Missionária da Paróquia Santa Teresinha (Bacabal) apresentou-se trazendo um grupo de meninos e meninas, partindo da reflexão que crianças e adolescentes não podem ficar de fora da missão. 
À noite, uma vigília foi realizada, como parte integrante da vida dos missionários, que não podem esquecer a espiritualidade. 

Confira algumas fotos do 2º dia do retiro missionário:

Fotografia: Lourival Albuquerque
Criada em 1992, a Semana Nacional da Família é um evento anual e integra o calendário das paróquias e comunidades de todo o Brasil. A atividade inicia neste domingo, 9 de agosto, Dia dos Pais, dentro do clima do mês vocacional, e prosseguirá até o próximo sábado, 15.

O tema central deste ano é "O amor é a nossa missão: a família plenamente viva". O evento é motivado pela Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF), organismo vinculado à Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

“A Semana Nacional da Família é um evento que vem crescendo a cada ano. Ela acontece num contexto importante de agosto, mês vocacional. É um mês que faz referência às diferentes vocações como a vida consagrada, dos pais, religiosos” pontua o bispo de Osasco (SP) e presidente da Comissão para a Vida e a Família da CNBB, dom João Bosco Barbosa.

Na oportunidade, o bispo deixa um convite: “Queremos convidar todas as famílias, especialmente aquelas que estão engajadas em pastorais e movimentos de família para que façam dessa semana um grande acontecimento em nosso país”.

Hora da Família

Para animar a atividade, a Comissão Nacional elabora o subsídio "Hora da Família", que começou a ser editado desde a vinda de São João Paulo II ao Brasil, em 1994, e passou a ser publicado anualmente, estando em sua 19ª edição.

Este ano, o subsídio está em sintonia com o tema do Encontro Mundial das Famílias, que acontecerá no mês de setembro, na Filadélfia, com presença do papa Francisco. São propostos sete encontros: Gerados no amor de Deus, Sexualidade: Dom de Deus, Homem e mulher construindo um matrimônio santo, Criando o futuro, Todo o amor dá frutos, Família, esperança de Deus para o mundo e Igreja, mãe e mestra.

“É preciso realmente mobilizar e dar importância a essa reflexão sobre a família em todos os âmbitos da nossa vida. Os temas aprofundados nos encontros do Hora da Família são especialmente apropriados para que possamos conduzir a Semana da Família com profundidade e muito conteúdo de estudo e espiritualidade”, explica dom João Bosco.

Sugestões de atividades

Durante a Semana da Família são sugeridas algumas atividades, dentro do contexto local. As escolas podem trabalhar sobre a realidade e os valores da família, além de momentos de estudos e palestras nas comunidades, com espaço para testemunhos de casais, de famílias, jovens e religiosos. Também são oportunas as vigílias pelas famílias nas comunidades; adoração ao Santíssimo em prol das famílias; procissão luminosa, reza do terço, fórum da família; seminários e eventos nas Câmaras Municipais, entre outras.

Dom Bosco recorda que a Semana da Família deve ser estendida para o ano todo, com motivações nas comunidades. “A temática família perpassa o ano todo, sendo uma reflexão transversal de toda ação evangelizadora da Igreja. A escolha de uma semana especial sobre a família é justamente para a reflexão não ficar apenas no âmbito eclesial, mas se trata de uma oportunidade de oferecer também à sociedade o debate referente aos desafios da família”, destaca o bispo.

Segundo o assessor nacional da Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF), padre Moacir Silva Arantes, a Semana Nacional da Família é uma expressão de diálogo da Igreja com a sociedade. “É um momento de dar um presente à família. E este presente é uma presença melhor e que possa enriquecer espiritualmente a sua convivência. Convido a todos para participar das celebrações, reflexões e debates da Semana Nacional da Família. Com certeza, por meio destes momentos você estará trazendo para dentro de sua casa um dom precioso de Deus para ajudá-los a viver mais felizes”, explica o sacerdote.

Saiba mais: www.cnpf.org.br

sábado, 8 de agosto de 2015

Se depender da disposição das milhares de pessoas de toda a região que estão desde ontem (07) na Paróquia Sant'Ana e São Joaquim, o aniversário dos 50 anos de Bacabal será em clima de festa e missão!

É que começou nesta sexta-feira o 1º Retiro Diocesano das Santas Missões Populares, do qual participam missionários de vários e mais longínquos municípios da nossa Diocese, como São Raimundo do Doca Bezerra, São Bernardo do Mearim, Capinzal do Norte, São Roberto, Esperantinópolis, Marajá do Sena, Bom Lugar, Pedreiras, Trizidela do Vale e outros municípios.

O bispo diocesano Dom Armando as boas vindas aos missionários, destacando a importância desse momento e convocando a todos para serem multiplicadores dessas ações que acontecerão principalmente ao longo desses dois anos, culminando em 2017, quando a  Diocese comemorará 50 anos de criação. Padre Figueira, de Santa Inês-MA e que faz parte da coordenação nacional das SMP's também está presente e auxiliará na condução do retiro, que encerra-se no domingo (09).
Nosso site fará a cobertura completa do encontro. Segue as fotos da abertura (sexta-feira, 07/08).

Fotografia: Lourival Albuquerque