sábado, 30 de agosto de 2014

A antepenúltima noite do Festejo de São Raimundo, celebrada ontem (29) foi marcada pelo enlace matrimonial de três casais: Adauto Rocha de Figueiredo e Maria Alexandrina Feitosa Sousa; Raimundo Nonato Santos Silva e Francisca Francineuda Vasconcelos; e Jocimar Silva Pereira e Madalena Sobrinho de Figueiredo Pereira.

A Pastoral Familiar da comunidade assumiu a Liturgia, presidida por Padre Jonas e com a presença de fiéis, amigos e familiares dos nubentes. Fazendo memória ao martírio de São João Batista, o sacerdote lembrou da fidelidade do profeta ao projeto de Deus. «Ele foi um sinal, uma luz que indicava a presença de Jesus», disse ele, pedindo que os casais fossem o mesmo na vida conjugal.

Após a celebração litúrgica, a parte social do festejo contou com a presença da Banda Municipal, que é composta em sua maioria por jovens. Também os alunos da Academia Brasileira de Artes Marciais fizeram-se presentes, fazendo uma demonstração para a comunidade ali reunida.

Confira algumas fotos:
Fotografia: Lourival Albuquerque

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Por motivos superiores, o encontro da Escola Catequética Paroquial, que deveria ser realizada neste sábado (30), foi cancelada para uma data ainda não definida pela equipe de organização. 

O encontro deveria acontecer no SESI e trataria sobre a História da Igreja. 

Assim que uma nova data for marcada, divulgaremos.
"Tudo o que é bom, dura pouco", disse um conhecido ditado. Por isso, está chegando ao fim o Festejo de São Raimundo Nonato, que iniciou-se no último dia 22.

A festa em honra ao padroeiro da Comunidade tem agradado muito a quem tem participado: além de alimentar a fé, tem proporcionando momentos de grande confraternização através das atrações culturais e da praça de alimentação montada no local. Para marcar o penúltimo dia do festejo, será promovido o Bingão da Comunidade, que conta com uma grande premiação e visa angariar fundos para a reforma do telhado da igreja. A premiação consta do seguinte: 1º prêmio: 01 celular  e 01 tablet; 2º prêmio: 01 panela de pressão, 01 microondas, 01 ventilador e 01 batedeira; 3º prêmio: 01 novilha e 4º prêmio: 01 moto FAN 125 CC.

As cartelas estão distribuídas entre as comunidades e os agentes de pastorais ou podem ser adquiridas na própria Comunidade São Raimundo ao preço de R$ 10,00 (dez reais).

Encerramento do Festejo

Neste domingo (31) a partir das 18:00h acontecerá a procissão luminosa, que percorrerá as principais ruas do bairro Santos Dumont, até chegar novamente à Igreja São Raimundo, onde será presidida a celebração de encerramento do festejo. 
Com o objetivo de ampliar o trabalho da Pastoral da Comunicação (PASCOM) na Diocese, Dom Armando promoveu no encontro, do qual participaram representantes de vários segmentos das paróquias, principalmente da cidade.

Para melhorar ainda mais o serviço de Evangelização na Diocese, nomeou Padre Geraldo Teófilo, do Santuário São Benedito de Pedreiras-MA como assessor da PASCOM Diocesana. Um novo coordenador também foi eleito: Samuel Davi, da Paróquia Santa Teresinha. Após longo e frutuoso trabalho, Zizi deixou a coordenação para dedicar-se ao Diaconato Permanente, ao qual é candidato.

Samuel (Coordenador) e Padre Geraldo (Assessor)
Uma das prioridades eleitas na reunião em questão foi a articulação das demais redes de comunicação em nossa vasta diocese, composta de 27 municípios e muitos deles distantes. Para cumprir esse objetivo, resolveu-se visitar as foranias, com seus respectivos párocos e agentes. Esse trabalho começou ontem (28) pela forania de Pedreiras. Receberam a visita os padres José Alberto Santo Antonio dos Lopes), Airton (Capinzal do Norte), Antonio Ribeiro (Lima Campos). A Paróquia de Santo Antonio também foi visitada, mas o Pároco Frei William (Trizidela do Vale) estava ausente, porém um representante recebeu e conversou com a equipe. Com eles, foi realizando um levantamento sobre a situação da comunicação em suas respectivas paróquias, a fim de dar melhor encaminhamento às ações propostas pelo bispo.

O objetivo de visitar todas as foranias está em curso. A idéia é também divulgar e animar os agentes da PASCOM para o grande Encontro Diocesano da Pastoral da Comunicação, a ser realizado em Pedreiras no período de 17-19 de outubro, no Santuário São Benedito.

Fotografias: Gentilmente cedidas por Maria Elizabeth - Santuário São Benedito / Pedreiras-MA

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Como de costume, mensalmente está sendo realizado o almoço beneficente em prol da nova Matriz.

Esse mês o evento acontecerá no próximo domingo (31). Antes realizado no salão paroquial ou no Classe A Eventos, agora será na própria igreja em construção. Essa semana, os trabalhadores esforçaram-se em colocar o piso da igreja, possibilitando assim o almoço no local.


O telhado já foi instalado e o reboco interno, já foi feito. Aos poucos, a grande igreja toma forma e daqui a pouco já teremos uma das mais lindas igrejas do Maranhão. Confira algumas fotos tiradas no dia 24/08:

 Fotografia: Lourival Albuquerque
Todos os anos, durante o mês de agosto, a Paróquia Sant'Ana contribui com as despesas do Seminário Maior da Diocese de Bacabal, assim como as outras paróquias durante todo o ano. 

Como de costume, os seminaristas vão às referidas paróquias para agradecer a generosa contribuição. Neste sábado (30), eles estarão em nossa Paróquia, promovendo um encontro principalmente com jovens e/ou coroinhas. Lá, terão também a oportunidade de falar sobre vocação e realizarão uma gincana de cunho formativo com esses jovens, além de tratarem sobre a missão dos coroinhas na Igreja. 

O encontro acontecerá na Comunidade Santo Antonio, das 14:30h às 17:30h. Todos são convidados a participar!
No último dia 26 (terça-feira), a Catedral Diocesana Santa Teresinha comemorou 78 anos como paróquia e uma celebração festiva marcou a data. 

O Pároco da igreja Catedral - Lauro Henrique presidiu a celebração eucarística com a igreja lotada, e concelebraram Padre Auriélio, Padre Manoel e os diáconos permanentes daquela paróquia. Homenagens foram apresentadas na cerimônia, que contou com a presença dos Irmãos da Fraternidade o Caminho, que estão em visita à comunidade paroquial. 

Após a Missa, todos puderam dirigir-se ao salão paroquial, onde foi realizada uma exposição que lembrava os principais momentos da história daquela igreja. A exposição foi aberta ao público e muitos professores e alunos de diversas escolas puderam também prestigiar. Esse momento especial vivido prepara a comunidade (e a cidade inteira) para o Festejo de Santa Teresinha, que começa no próximo dia 21 de setembro.
Fotografia: Diana Cláudia

Com mais uma bonita celebração, seguiu-se ontem (27) a 6ª noite do Festejo de São Raimundo Nonato, que vai até o próximo domingo (31).

A celebração eucarística foi presidida por Padre Jonas e teve animação litúrgica do grupo Missionárias de Madre Teresa, um grupo de mulheres, jovens e crianças que celebração e divulgam o carisma da Congregação das Irmãs Escolares de Nossa Senhora (IENS), da qual pertencem Irmã Carmem e Irmã Toinha e que foi fundada pela Beata Maria Teresa de Jesus Gerhardinger. Em sua homilia, o presidente da celebração refletiu com a assembléia o tema "Jesus nos ensina a viver à luz da verdade".

Antes da bênção final, Irmã Toinha falou um pouco da congregação da qual faz parte, enfatizando o carisma das religiosas e pedindo orações pelas vocações. As Missionárias de Madre Teresa foram apresentadas à comunidade e receberam uma bênção especial, assim como também todo o povo de Deus reunido ali.

A parte social contou com a participação de muitas pessoas, que têm como todos os visitantes a oportunidade de conviver um pouco mais com seus amigos e familiares, além de ajudar a comunidade em suas necessidades materiais: o valor arrecadado neste festejo será utilizado principalmente na troca do telhado da igreja de São Raimundo Nonato.A noite finalizou-se com a apresentação do "Boizinho de São Raimundo", formado por catequizandos da própria comunidade.

Para conferir a programação completa do festejo: >>Clique aqui. 

Confira também algumas fotos:
Fotografia: Lourival Albuquerque
Há poucos dias, celebramos a Semana Nacional da Família, que mobilizou fiéis do Brasil inteiro nessa busca incessante de refletir sobre tão importante instituição de nossa sociedade. 

Vários grupos de reflexão surgiram pelas ruas de nossa paróquia, procurando congregar o máximo de pessoas a fim de que o objetivo da campanha fosse alcançado. Na Comunidade Nossa Senhora da Conceição, por exemplo, acontecerão encontros nas famílias, com momentos de reflexões, leitura da Palavra de Deus e partilha. Muitas pessoas atenderam ao chamado dos líderes de grupos e participaram ativamente. 

O último encontro foi marcado por uma grande celebração na rua, presidida pelo Diácono Gileno Dimaria, que falou da importância da preservação dos valores e motivou o amor e o cuidado entre seus membros, tudo isso guiado pela Palavra de Deus, que deve ser referência para todas as pessoas. 

A celebração foi também para agradecer por graças recebidas por alguns fiéis da localidade. O encontro finalizou-se com um grande momento de partilha. 
Fotografia: Pastoral Familiar
No segundo dia de reunião do Conselho Episcopal Pastoral (Consep) ampliado, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), os bispos ouviram a palestra do padre Mário de França Miranda, doutor em Teologia e professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. A reunião teve início ontem, 26, e prosseguirá até sexta, 29, na sede da Conferência, em Brasília. 

Padre Mário retomou as principais linhas da exortação apostólica do papa Francisco, Evangelli Gaudium, confrontando o discurso do pontífice com as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil. O palestrante procurou apontar as mudanças que estão acontecendo na Igreja atualmente, sobretudo a partir do pontificado de Francisco, suas orientações e a forma como ele as tem acolhido. O  sacerdote falou sobre uma presença maior do Espírito Santo na vida da Igreja e sobre a sinodalidade, ou seja, uma Igreja com mais comunhão e participação de todos.

Retomando os discursos de Francisco, padre Mário recorda a ideia da opção pelos pobres, mas em uma ótica de ações concretas como insiste o papa. “Lembrando que o termo ‘pobres’ aqui é uma palavra genérica, para todos os que estão do pior lado de uma sociedade que produz desigualdades”, alertou.

Leigos

Para o futuro da Igreja, o teólogo defende uma participação ainda maior do laicato. “Não vejo saída para a Igreja a não ser por meio da força dos leigos e leigas na obra da Evangelização. Creio que daqui para frente é impossível uma Evangelização eficaz sem eles. A sociedade é muito complexa, com setores até desconhecidos por responsáveis religiosos, mas onde os leigos vivem sua fé e podem ser agentes dessa Evangelização”, declarou o padre, que defendeu, em seguida, uma entidade menos clerical e mais participativa.

Missão

Ainda na opinião do sacerdote, a missão é o grande sentido da Igreja. “Ser cristão é, sobretudo, estar ativo na obra da Evangelização. Você passa a trabalhar nessa obra a partir do momento do batismo. Essa consciência havia desaparecido um pouco, mas hoje está sendo fortemente retomada”. Segundo padre Mário, a Igreja está vivendo um processo de recuperação, para corrigir essa falha de mais de mil anos, desde o Concílio Vaticano II, para retomar o que há de mais autêntico do cristianismo. “Por isso, o futuro é uma época de grande oportunidade e fecundidade”, vislumbra.

O sacerdote acredita que a CNBB tem procurado responder aos pedidos do papa e que a América Latina, de modo geral, dá não apenas um forte recado ao resto do mundo, mas faz um convite para a caminhada da Igreja, por uma religião mais concreta e mais sensível ao sofrimento humano. “Às vezes o contexto europeu limita a compreensão do que se passa em outras regiões. Isso é normal, por conta da nossa chave de leitura. Mas o papa é ousado, diz ‘para que não tenhamos medo, sermos criativo’, e isso tem um peso enorme”, conclui.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Os caminhos de Deus muitas vezes nos parecem incompreensíveis. No entanto, a experiência do amor de Deus e a fé selam em nós uma verdade maior que esta incompreensão: "Aliás, sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são os eleitos, segundo os seus desígnios" (Romanos 8, 28).

Porque os caminhos de Deus podem ser estranhos e incompreensíveis, mas, sem dúvida alguma, são os melhores e deles podemos tirar um bem maior, respeitando sempre a liberdade. Deus nos faz vencer!

"Lembra-te de todo o caminho por onde o Senhor te conduziu durante esses quarenta anos no deserto, para humilhar-te e provar-te, e para conhecer os sentimentos de teu coração, e saber se observarias ou não os seus mandamentos. Humilhou-te com a fome; deu-te por sustento o maná, que não conhecias nem tinham conhecido os teus pais, para ensinar-te que o homem não vive só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor. Tuas vestes não se gastaram sobre ti, e teu pai, não se magoou durante estes quarenta anos. Reconhece, pois, em teu coração, que assim como um homem corrige seu filho, assim te corrige o Senhor, teu Deus." (Deuteronômio 8, 2-5).

Deus age muitas vezes dessa maneira em nossa vida: como um Pai. Ele nos ensina, nos corrige, nos faz conhecer-nos melhor, nos guia pelo bom caminho, cuida de nós, nos dá aquilo de que precisamos para continuar. E, em suma, Ele nos ama.

Eu mesmo passei por momentos de provação, tempos difíceis, nos quais se manifestou o que havia em meu coração, e assim pude me conhecer melhor.

Mas devo dizer que, em todos esses momentos, Deus sempre esteve presente, consolando-me e ensinando-me com a sua Palavra, escutando a minha oração, fortalecendo-me e reavivando a minha esperança, amando-me!

Além disso, no final Ele sempre saiu vencedor, pois "não é, porém, Efraim, filho querido, eternamente amado por mim? Todas as vezes que falo contra ele, mais viva se torna em mim a sua lembrança. E meu coração se comove ao pensar nele. Terei compaixão dele - oráculo do Senhor" (Jeremias 31, 20).

Outras muitas vezes, os caminhos de Deus são muito mais incompreensíveis, mas leve em consideração sempre sua Palavra sobre você, pois "assim acontece à palavra que minha boca profere: não volta sem ter produzido seu efeito, sem ter executado minha vontade e cumprido sua missão" (Isaías 55, 11).

E, como garantia disso, Deus venceu a morte, o destino inevitável da sua vida, e lhe deu a esperança da vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor. Ele mesmo entrou na morte para mostrar-lhe que você não tem nada a temer, e para amá-lo até o extremo.

Deus realmente ama você. Confie nele!

(Artigo publicado originalmente por Mensajero del Amor de Dios)
A Igreja é una e santa – foi este o tema da catequese do Papa Francisco na audiência geral desta quarta-feira dia 27 de agosto:

“É una porque tem a sua origem em Deus Trindade, mistério de unidade e comunhão plena. A Igreja é pois santa, fundada em Jesus Cristo, animada pelo seu Espírito Santo, repleta pelo seu amor e pela sua salvação. Ao mesmo tempo, contudo, é composta por pecadores, que fazem experiência em cada dia das próprias fragilidades e das próprias misérias.”

A unidade e santidade não são obra nossa mas provêm de Deus – afirmou o Santo Padre. Na verdade, Jesus, quando estava para oferecer a sua vida por nós, rezou ao Pai pela unidade da Igreja, pedindo que todos os seus discípulos vivessem unidos com a Santíssima Trindade e uns com os outros.

“É aquilo que somos chamados continuamente a reler e meditar, numa das páginas mais intensas e comoventes do Evangelho de João, o capítulo dezassete. Como é belo saber que o Senhor, antes de morrer, não se preocupou consigo próprio, mas pensou em nós!”

Dos crentes da Igreja primitiva diz-se que formavam «um só coração e uma só alma» - recordou o Papa Francisco – e S. Paulo não se cansa de lembrar aos fiéis das suas comunidades que são todos «um só corpo».
Entretanto a experiência mostra-nos que há tantos pecados contra a unidade – continuou o Santo Padre:

“E não pensemos apenas nas heresias ou nos cismas, mas em faltas muito mais comuns, nos pecados “paroquiais”: com efeito, as nossas paróquias, chamadas a ser lugares de partilha e comunhão, infelizmente aparecem marcadas por invejas, ciúmes, antipatias. É verdade que isso é humano, mas não é cristão!”

O Papa Francisco recordou neste momento as divisões entre os cristãos e afirmou que a divisão é um dos pecados mais graves numa comunidade cristã, porque torna-a sinal, não da obra de Deus, mas da obra do diabo.

“Numa comunidade cristã, a divisão é um dos pecados mais graves, porque torna-a sinal não da obra de Deus, mas do diabo o qual é, por definição, aquele que divide, arruína as relações, insinua preconceitos…”

Desta forma, o Santo Padre afirmou que Deus, pelo contrário, quer que cresçamos na capacidade de nos acolhermos, perdoarmos e amarmos, para nos parecermos cada vez mais com Ele que é comunhão e amor. O Papa Francisco terminou a sua catequese formulando uma prece:

“Peçamos sinceramente perdão por todas as vezes em que fomos ocasião de incompreensão no interior das nossas comunidades, conscientes de que não se alcança a comunhão senão através da uma contínua conversão.”

O Papa Francisco saudou também os peregrinos de língua portuguesa presentes nesta audiência:

“Saúdo cordialmente os peregrinos de língua portuguesa, de modo especial os grupos brasileiros de Porto Alegre e de Santo André, que aqui vieram movidos pelo desejo de afirmar e consolidar a sua fé e adesão a Jesus Cristo: o Senhor vos encha de alegria e ilumine as decisões da vossa vida, para realizardes fielmente a vontade do Pai celeste a vosso respeito. Rezai por mim. Não vos faltará a minha oração e a Bênção de Deus.”

O Papa Francisco a todos deu a sua bênção!

Fonte: Rádio Vaticana

terça-feira, 26 de agosto de 2014

A Paróquia de Sant’Ana convoca todos os grupos, pastorais e movimentos para participarem do 3ª Encontro da ESCOLA BÍBLICA CATEQUÉTICA, o tema será IGREJA, momentos fundantes da Igreja; modelos de Igreja.

Data: 30 de Agosto de 2014                
Horário: 8:00h às 17:00h                
Local: Escola SESI

Recordamos que a taxa de inscrição é de R$ 12,00 (incluso o almoço) e que cada um deverá levar seu lanche.

Pedimos por gentileza confirmarem presença, na secretaria da Paróquia ou com:
Lucilene: (99) 8184-8887  ou   Heronildes: (99) 8221-9966.

Desde já agradecemos sua participação.
Iniciado na última sexta-feira (22), o Festejo de São Raimundo Nonato contou ontem (25) com a participação especial de Frei Joá (OFM), de Poção de Pedras-MA, que presidiu a celebração eucarística.

A Liturgia foi preparada com muito carinho pelos coroinhas da própria comunidade, que fizeram-se presentes e participaram ativamente da mesma. Na homilia, Frei Joá fez questão de lembrar que ser coroinha é uma fase muito bonita da vida de um adolescente, principalmente pela proximidade que os mesmos têm do altar e, consequentemente, de Cristo presente na Eucaristia. Refletindo o subtema: "Jesus repudia a falsidade e a hipocrisia", disse que esses sentimentos devem ser levados para longe de nossas vidas e que atrapalham nossa caminhada, seja na vida pessoal, social ou comunitária. 

O final da celebração foi marcada pela apresentação dos coroinhas. Logo após, todos puderam dirigir-se para o largo da igreja, onde participariam da parte social. O espaço que foi reservado para isso abrange uma lanchonete, com variado cardápio - seja de lanches ou jantar -, e também brinquedos para crianças e apresentações culturais. 
Confira mais algumas fotos:
Fotografia: Lourival Albuquerque

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Representantes de 12 países latino-americanos e caribenhos reuniram-se para debates e aprofundamentos com o objetivo de elaborar um conjunto de “orientações para dinamizar a animação bíblica da pastoral nas Igrejas”. O encontro aconteceu na sede do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), em Bogotá, Colômbia, entre os dias 18 e 22 de agosto.

 As discussões realizadas tratavam de assuntos relacionados às exortações apostólicas Verbum Domini e Evangelii Gaudim, respectivamente dos papas Bento XVI e Francisco. Os participantes ressaltaram a necessidade de um “longo trabalho” com a colaboração do grupo e de especialistas para a construção das orientações.

O assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CXNBB), padre Décio José Walker, representou a entidade.

Fonte: Rádio Vaticana
 
No domingo em que recorda-se a vocação dos leigos na Igreja, a comunidade paroquial de Sant'Ana teve a honra de participar da celebração onde 40 ministros extraordinários da Comunhão Eucarística, da Palavra ou das Exéquias receberam a provisão para o serviço às suas comunidades.

A celebração solene foi presidida por Frei Ribamar e teve a participação de um grande número de fiéis. Nela, o sacerdote recordou o frutuoso trabalho dos leigos na Igreja, e direcionando-se especialmente aos ministros, lembrou que eles devem desenvolver um trabalho intenso e que tem grande relevância: visitar e levar esperança àquelas pessoas que muitas vezes são esquecidas pelas outras pessoas, e às vezes pela própria família.

O intenso trabalho de formação para esses homens e mulheres que colocaram-se à disposição da paróquia começou há dois anos e teve o acompanhamento de Padre Cláudio, que nesse período promoveu estudos, reflexões, momentos de espiritualidade, o que favorecerá ainda mais a sua vivência na comunidade e o serviço que desenvolverão a partir de então. Por estar em trabalho na Paróquia Nossa Senhora das Graças (Satubinha-MA), o sacerdote não pôde estar presente na cerimônia.

Ministros que receberam a provisão
Aldevan Sousa Neres
Antônia Izabel Oliveira dos Santos
Antônia Santos Rodrigues
Antônia Xistes da Sá Tavares
Aurilene Medeiros Vicente Silva
Benigna Albuquerque
Claudete Bílio Alencar
Cleonice da Cunha Costa
Dalzira Rodrigues Portela
Elizabete Pereira Silva
Egnaldo dos Santos Sousa
Francisca Alves da Silva
Francisca das Chagas Soares Beserra
Jakeline de Brito Moraes
João de Abreu Sousa
Josileide Gonçalves Cesar
José Holanda de Lima
José Sousa Cesar
Maria Belo Dourado.
Maria da Conceição Santos Sousa
Maria das Dores da Silva
Maria de Fátima Sousa Lima
Maria das Graças Rodrigues
Maria José Barreto
Maria José Lima Mendes
Maria José Nunes de Oliveira
Maria de Jesus Silva Costa
Maria Leite Miranda
Maria do Socorro Lopes Pinto
Maria Vilanir Leitão Gomes
Marilene Sousa Viana
Onedia Dias Carneiro Viana
Raimunda Lopes Sousa
Raimundo batista Rodrigues
Rosevam Soares de Azevedo
Telma Maria Teixeira de Oliveira
Terezinha Gomes de Oliveira
Teresinha de Jesus dos Reis dos Santos
Teresinha de Sousa Soriano
Vicente Dantas da Silva

Confira algumas fotos:
  Com informações da Secretaria Paroquial
Cada cristão, cada batizado, está chamado a oferecer a Jesus a sua própria fé, sincera, para que Ele possa construir a sua Igreja – sublinhou o Papa Francisco neste domingo, ao meio-dia, na Praça de São Pedro, por ocasião do Angelus com milhares de romanos e peregrinos. O Papa recordou que neste dia os ucranianos celebram a sua festa nacional, fazendo votos de que se supere no país a situação de tensão e conflito que tantos sofrimentos tem provocado na população.

Na sua alocução, Papa Francisco comentou o Evangelho deste domingo (Mateus 16), em que Simão, em nome dos Doze, professa a sua fé em Jesus como “o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Considerando “feliz” por esta sua fé, reconhecendo nela um dom do Pai, Jesus atribui-lhe um novo nome – Pedro (Kefa), Rocha. Palavra que a Bíblia referia a Deus. Jesus aplica-a a Simão, não pelas suas qualidades ou méritos humanos, mas sim pela sua fé genuína e firme, que lhe vem do alto.

Jesus – observou o Papa – sente uma grande alegria, porque reconhece em Simão a mão do Pai, a ação do Espírito Santo.

Reconhece que Deus Pai deu a Simão uma fé fiável, sobre a qual Ele, Jesus, poderá construir a sua Igreja, isto é, a sua comunidade.
Para iniciar a sua Igreja, Jesus tem necessidade de encontrar nos discípulos uma fé sólida, fiável.

“O Senhor tem em mente a imagem da construção, a imagem da comunidade como um edifício. É por isso que, quando sente a profissão de fé nítida de Simão, o chama rocha, e exprime a intenção de construir a Igreja sobre esta fé”:.

O que aconteceu de modo único em São Pedro, acontece também em cada cristão que matura uma fé sincera em Jesus o Cristo, o Filho do Deus vivo.

O Evangelho de hoje interpela também cada um de nós.
Se o Senhor encontrar no nosso coração uma fé – não digo perfeita, mas sincera, genuína, então Ele vê também em nós pedras vivas com as quais construir a sua comunidade.
A pedra fundamental desta comunidade é Cristo, pedra angular e única.

Pela sua parte, Pedro é pedra, enquanto fundamento visível da unidade da Igreja – observou ainda o Papa, sublinhando que “cada batizado está chamado a oferecer a Jesus a própria fé, pobre mas sincera, para que Ele possa continuar a construir a sua Igreja, hoje, em cada parte do mundo.

E o Papa concluiu a sua alocução, antes da reza do Angelus, convidando todos os presentes na Praça de São Pedro a professarem a sua fé em Cristo, Filho do Deus vivo”… com ele repetindo, três vezes, as palavras de Pedro…

Foi depois da recitação das Ave Marias que Papa Francisco dirigiu o seu pensamento (disse) “à amada terra da Ucrânia” (onde se celebra hoje a festa nacional), “a todos os seus filhos e filhas, às sua aspirações de paz e serenidade, ameaçados por uma situação de tensão e de conflito que tarda a placar-se, gerando tanto sofrimento entre a população civil.”

Confiemos ao Senhor Jesus e a Nossa Senhora toda a Nação e rezemos unidos sobretudo pelas vítimas, suas famílias e todos os que sofrem.

Nas saudações finais aos diversos grupos de peregrinos presentes, o Papa exortou a que, tornando a suas casas, tratem de testemunhar a própria fé cristã. Como sempre pediu que rezem por ele e a todos desejou um bom domingo e bom almoço…

Fonte: Rádio Vaticana

domingo, 24 de agosto de 2014

Um cristão dos primeiros tempos da Igreja, seja da época dos apóstolos e dos primeiros mártires, seja de alguns séculos depois, ter-se-ia admirado de que alguém pudesse duvidar do fato, para ele evidente, de que todos os cristãos são chamados a participar ativamente da missão da Igreja.

Séculos depois, na Idade Média, o leigo vira mero e silencioso ouvinte; torna-se o que não sabe o latim (idioma oficial da Igreja), o inculto, o analfabeto, que não tem aceso à Bíblia. A missão ficou nas mãos da hierarquia e, parcialmente, dos religiosos e religiosas consagradas. Assim nasceu e progrediu a distância entre hierarquia e laicato, entre clero e povo.

Neste período o que distingue os leigos dos demais fiéis é, em primeiro lugar, a chamada "definição negativa", pela qual o termo leigo, pelo menos desde Tertuliano, adquiriu o sentido técnico de cristão "não pertencente ao clero", ou seja, leigo é quem não tem ordens sacras! Esse conceito bastante negativo tem raiz na clericalização da Igreja, quando, na verdade, os cristãos leigos e, de modo particular, as cristãs leigas encontravam-se totalmente excluídos da participação direta na vida e na ação da Igreja, limitando-se a apenas cumprir as ordens emanadas pela hierarquia.

A origem da palavra leigo

A palavra portuguesa leigo é proveniente do grego laikós que provém da palavra laos cujo significado é massa, ou seja, multidão, agregado social, aglomeração de gente. A isto acrescenta-se uma conotação bastante pejorativa. No grego clássico, o sentido do termo não é somente multidão, de povo, mas insinua-se que esse povo não é qualificado, é inferior, por isso distinto de seus chefes. Essa visão bastante negativa é confirmada pelas traduções latinas ou pêlos sinónimos empregados para expressar o significado de laikós. Entre outras expressões encontramos: "idiota", "iletrado", "secular", "plebe".

Assim os próprios cristãos leigos e leigas foram se imaginando "idiotas", estranhos e, conseqüentemente, comportando-se como tais. Por causa disso, ainda hoje, a maioria deles vive nesse estilo e nessa condição dentro da Igreja. Diante dessa situação, a teologia da vocação, traduzida em prática pela Pastoral Vocacional, deve contribuir para a superação desse inconsciente coletivo que tanto mal tem feito à comunidade cristã.

Graças ao Concílio Vaticano II, essa compreensão foi superada com um grande esforço de todos para recuperar a originalidade perdida. Assim, na Constituição Dogmática sobre a Igreja "Luz dos povos" (Lumen Gentium), antes de falar da hierarquia (cap. lll) e dos leigos (cap. IV), fala do povo de Deus (cap. II). É a Igreja na sua totalidade, naquilo que é comum a todos os membros. Ai o concílio superou a distância entre hierarquia e laicato, e a desigualdade tão perniciosa.

A noção de povo de Deus exprime a profunda unidade, a comum dignidade e fundamental habilitação de todos os membros da Igreja à participação na vida da Igreja e à co-responsabilidade na missão. Assim, quando o concílio fala da "Atividade missionária da Igreja", diz:

"Como membros de Cristo vivo. a E/e incorporados e configurados pelo Ba tis mo e também pela Confirmação e a Eucaristia, obrigados se acham todos os fiéis ao dever de cooperar na expansão e dilatação de seu corpo, para o levarem quanto antes à plenitude. Convençam-se por isso vivamente todos os filhos da Igreja de sua responsabilidade para com o mundo. Empenhem-se com afinco na obra da evangelização"(AG 36).

O Concílio Vaticano II está interessado em descrever positivamente o leigo. Por isso, partindo da ênfase sobre o Batismo, vai afirmar a sua Incorporação a Cristo',' constituição no povo de Deus',' participação na tríplice função de Cristo e, conseqüentemente, sua participação na missão comum a todo o povo cristão. Estes elementos, porém, são comuns a todos os membros da Igreja. O leigo exerce a missão do povo cristão "na Igreja e no mundo". Em relação aos clérigos e aos religiosos, o leigo é o cristão que vive no mundo.

A descrição pode parecer equívoca, pois também o ministro ordenado e o religioso vivem no mundo. O que é, porém, diferente é o 'modo' de o leigo estar presente no mundo:

"Lá são chamados por Deus para que, exercendo seu próprio ofício guiados pelo espírito evangélico, a modo de fermento, contribuam para a santificação do mundo e assim manifestam Cristo aos outros".

O concílio exorta os cristãos a procurarem desempenhar fielmente suas tarefas terrestres, guiados pelo espírito do Evangelho.

Afastam-se da verdade os que, sabendo não termos aqui cidade permanente, mas buscamos a futura, julgam, por conseguinte, poderem negligenciar os seus deveres terrestres, sem perceberem que estão mais obrigados a cumpri-los, por causa da própria fé, de acordo com a vocação à qual cada um foi chamado.

Assim os leigos devera buscar e promover o bem comum:

• Na defesa da dignidade do homem e de seus inalienáveis direitos à vida, à segurança, ao trabalho,à moradia, à educação, à religião,à participação em associações livres,à posse da terra;

• Na proteção dos mais fracos e necessitados: crianças, anciãos, marginalizadosjovens, desempregados, encarcerados, operários;

• Na construção da paz, da liberdade, da justiça, "apresentar a fisionomia duma Igreja comprometida com a promoção da justiça em nossos povos" (Puebla 777); "sério compromisso com a promoção da justiça e do bem comum, agente de justiça" (Puebla 793).

Por isso o leigo cristão é "homem da Igreja no coração do mundo e homem do mundo no coração da Igreja" (Puebla 787).

• Deve marcar, completar, transfigurares "valores "do mundo.
poder, cultura, eficiência, progresso, realização.

• Através dos valores evangélicos testemunhados em sua vida e no seu agir: serviço, participação, valorização do homem, comunhão, promoção do outro, libertação dos pequenos e oprimidos.

A vocação dos leigos e leigas

Como membro do povo de Deus, o leigo é chamado a ser fermento de santidade, testemunhando as riquezas de seu Batismo e Confirmação. Ele traz ao conjunto da Igreja a sua experiência de participação nos problemas, desafios e urgências do seu mundo secular, das pessoas, grupos sociais e povos.

• "Consciente de sua realidade de batizado, deve participar na pastoral de conjunto, na sua planificação e execução"
(Puebla 807-808),

• "Promovendo na Igreja estruturas de diálogo, de participação e ação pastoral de conjunto, expressão de maior consciência de pertença à Igreja" (Puebla 794-799).

Por isso assume trabalhos diversificados dentro da comunidade (ministérios).

Espiritualidade do cristão

A espiritualidade do seguimento é fundamental para a vivência cristã. O Espírito ensina-nos o verdadeiro seguimento de Jesus e suscita hoje uma espiritualidade mais integrada, em que todas as dimensões humanas são contempladas: a corporeidade, a afetividade, a emoção, a racionalidade, a criatividade e a sociabilidade.

Os discípulos de Emaús caminharam junto com Jesus, experimentaram sua presença, acolheram o sentido da cruz e regressaram à comunidade, animados e encorajados. Esse encontro com Jesus é experiência do mistério que nos circunda e envolve, que aquece os corações, que seduz as pessoas, proporcionando um sentido novo às nossas vidas. A paixão por Jesus nos leva a viver a compaixão, a solidariedade e a fazer da partilha fraterna nosso estilo de vida.

A espiritualidade não é"uma parte da vida, mas a vida inteira guiada pelo Espírito" de Jesus. "Entre os elementos de espiritualidade que todo cristão deve assumir como próprios, destaca-se a oração.

A oração o levará, aos poucos, a ver a realidade com um olhar contemplativo, que lhe permitirá reconhecer a Deus em cada instante e em Todas as coisas; de contemplá-lo em cada pessoa; de procurar cumprir sua vontade nos acontecimentos".

A espiritualidade não afasta da vida cotidiana

Especialmente leigos e leigas devem buscar a santidade dentro de suas próprias condições de /ida. É o que ensina o Concílio Vaticano II. Após ter afirmado com vigor a /ocação de todos os fiéis à santidade, a Constituição Lumen Gentium propõe alguns itinerários espirituais não apenas a ministros e consagrados, mas também aos esposos e pais, aos trabalhadores, aos pobres, aos sofredores, aos perseguidos pela justiça, concluindo: "Todos os fiéis santificar-se-ão lia a dia, sempre mais, nas diversas condições da sua vida, nas suas ocupacões e circunstâncias, e precisamente através de todas essas coisas, desde que as recebam com fé das mãos do Pai celeste e cooperem com a vontade divina, manifestando a todos, no próprio serviço temporal, a caridade com que Deus amou o mundo". (CNBB, Doe. n° 62; 176-180)

Textos para aprofundar o assunto:
- Lumen Gentium - Constituição Dogmática do Concílio Vaticano II
- Doc 62 CNBB - missão e ministérios dos cristãos leigos e leigas
- José Lisboa - Nossa resposta ao amor - Teologia das vocações específicas, Editora Loyola.

Texto bíblico para meditar:
-Mt5, 13-16
- Lc 10,1
Neste domingo (24), nossa cidade foi palco de um dos eventos que vem ganhando destaque no calendário local: a Cavalgada de São Raimundo Nonato, realizada sempre no mês de agosto, dentro das festividades em homenagem ao santo. 


A Pastoral da Família foi a idealizadora desse grande evento e um grande número de pessoas trabalha incansavelmente para que tudo dê certo. São meses de preparação, com reuniões frequentes e busca de apoio junto aos empresários e colaboradores da cidade. O resultado foi positivo e prova disso é o crescente número de pessoas ano a ano, não somente a cavalo, mas de carro, moto, bicicleta ou carroça. Tudo é válido para participar!

Os cavaleiros e amazonas concentraram-se próximos à matriz de Sant'Ana para o início do percurso, que abrangeu grande parte da cidade: Ramal, Esperança, Madre Rosa, Centro, passando pelas Paróquias São Francisco das Chagas e Santa Terezinha, até chegar ao Bairro Santos Dumont, onde está localizada a comunidade São Raimundo. Lá, os participantes da 11ª cavalgada receberam a bênção pelas mãos de Frei Cláudio Santos e Padre Jonas. Da comunidade São Raimundo, todos seguiram para o Recinto dos Leilões, onde foi oferecido um almoço pelos parceiros desse grande evento. 

Confira algumas fotos:


Fotografia: Lourival Albuquerque
Fiéis de várias partes da Diocese de Bacabal, amigos, familiares e companheiros de caminhada estiveram neste sábado (23) em Trizidela do Vale-MA, para prestigiar a ordenação do seu mais novo padre: Pedro de Jesus Lima em uma cerimônia presidida por Dom Armando Martin Gutiérrez e o clero diocesano. 

Às 18:00h centenas de pessoas já encontravam-se na quadra da Paróquia Santo Antonio de Pádua aguardando a celebração eucarística. Após treze anos de intenso estudo, vivência pastoral, ensinando e aprendendo, eis que chegou o dia do jovem receber das mãos do bispo diocesano o Sacramento da Ordem. A data não poderia ser mais significativa: também o aniversário natalício de Pedro de Jesus, que escolheu como lema sacerdotal "In Vobis Legit Deus" (=Deus me escolheu dentre vós)", referência à leitura bíblica de Atos 15,7b.

Frei William, pároco da cidade fez as honras da casa, acolhendo os fiéis e o corpo presbiteral, reunido ali. O pôr do sol de Trizidela do Vale revelava então a grande festa que seguir-se-ia, trazendo para diante do altar o então Diácono, acompanhando dos seus pais e os irmãos no sacerdócio unidos neste dia de tão grande graça. Uma multidão acompanhava com atenção o desenrolar da celebração, quando após o Evangelho, o candidato foi apresentado. O seu "sim" foi confirmado após interrogação do bispo e confirmação das qualidades necessárias para receber o sacramento da Ordem, feita por Frei Ribamar Cardoso. 

Dom Armando em sua homilia, fez referência à vocação e ao chamado de Jesus, inclusive fazendo analogia entre os nomes do ordenando - Pedro e o discípulo de Jesus, Pedro, citado nas leituras daquela noite quando do seu chamamento: "Apascenta as minhas ovelhas". Não deixou de portar-se sobre a as caracertísticas que devem ter o sacerdote, citando também o Papa Francisco quando diz que o "Pastor deve ter cheio de ovelha".

Em um dos momentos mais marcantes da liturgia, Pedro de Jesus prostra-se diante do bispo, enquanto a assembléia implora a ajuda da igreja celeste em favor do novo sacerdote. Segue-se a imposição das mãos e prece de ordenação, onde todos os sacerdotes ali reunidos, impõem as mãos sobre a sua cabeça em uma oração silenciosa. Este momento conclui-se com uma oração do Bispo, a unção das mãos e entrega do pão e do vinho. Já ordenado, recebe um assento ao lado de Dom Armando, para então fazer parte mais ativamente da celebração eucarística. 

Ao final, foram feitas algumas homenagens ao neo-sacerdote. Visivelmente emocionado, Padre Pedro também fez questão de agradecer a todos os envolvidos nesta longa e árdua caminhada, mas mostrou-se confiante na Providência Divina. "Sei do esforço e do trabalho de cada um para que a ordenação se realizasse. Obrigado às pastorais, grupos, movimentos, comunidades e pessoas que trabalharam com tanto empenho, amor e carinho. Isso demonstra que vocês me amam de verdade (...). Contudo, reconhecendo ainda, as minhas limitações, peço a cada um aqui presente para que continuem a acompanhar-me com vossas orações e não me deixem seguir só, pois, como seguidores e seguidoras de Cristo, somos chamados a caminhar juntos no ministério presbiteral que hoje a Igreja me conferiu para ser um com o Pai, com o Cristo e com os irmãos", finalizou. 

Após a bênção final, recebeu os cumprimentos e todos e seguiu-se um coquetel oferecido pela comunidade local a todos os fiéis.

Confira algumas fotos:

Fotografia: Lourival Albuquerque