• Um sinal de fé de gratidão a Deus

    Pelo dízimo, podemos viver as três virtudes mais importantes para todo cristão: a fé, a esperança e o amor-caridade, que nos levam mais perto de Deus. Representa a nossa vontade de colaborar com o Projeto Divino neste mundo.

    Leia +
  • Eis o tempo favorável!

    A Quaresma é esse tempo litúrgico que antecipa todo o período da Semana Santa, da Morte e da Ressurreição de Nosso Senhor, do mistério Pasc Então, é um grande tempo que a Igreja nos dá para que possamos preparar o nosso coração.

    Leia +
  • IGREJA EM AÇÃO

    Com objetivo de “construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência", a Diocese de Bacabal lançou oficialmente a CF 2018...

    Leia +

20.2.18

Dízimo: O que você precisa saber sobre o assunto

Muitos padres e fiéis católicos acham difícil falar sobre este assunto, principalmente por causa das deturpações que tantos verdadeiros mercadores da fé vêm promovendo nos últimos anos, usando meia dúzia de passagens bíblicas como arma para extorquir e explorar pessoas simples e sem instrução. É muito simples usar textos isolados da Bíblia para justificar qualquer ideia, e o próprio Satanás usou das Escrituras para tentar nosso Senhor Jesus Cristo, dizendo: “Está escrito…” (Mt 4,1-11, Mc 12,13 e Lc 4,1-13). Assim enriquecem, cada vez mais, os falsos profetas. O significado verdadeiro do dízimo, porém, é justo e verdadeiramente cristão.

Nos tempos do Antigo Testamento, a Lei de Moisés prescrevia o pagamento obrigatório de 10% dos rendimentos do fiel (pagos na forma de bens e mantimentos, principalmente produtos agrícolas) para manter a tribo de Levi e os sacerdotes, responsáveis pela manutenção do Tabernáculo e depois do Templo, já que eles não podiam possuir heranças e territórios. Esses mantimentos eram também usados para assistir aos órfãos, viúvas e pobres em suas necessidades. Depois da destruição do Templo (no ano 70 dC), a classe sacerdotal e os sacrifícios cessaram, e os rabinos passaram a recomendar que os judeus prestassem auxílio aos mais necessitados.

Por ser Cristo o Supremo Sacerdote, consumou o sacerdócio levítico com todas as suas leis, dízimos e costumes, como esclarece o Apóstolo São Paulo na Carta aos Hebreus (Hb 7,1-28): “Com efeito, mudado o sacerdócio, é necessário que se mude também a lei” (Hebr 7, 12). Mais adiante, o mesmo santo Apóstolo arremata: “Com isso, está abolida a antiga legislação, por causa de sua ineficácia e inutilidade” (Hb 7,18).


Hoje, o dízimo é uma doação regular e proporcional aos rendimentos do fiel, que todo batizado deve assumir. É uma forma concreta que o cristão tem para manifestar a sua fé em Deus e o seu amor ao próximo, pois é por meio dele que a Igreja se mantém em atividade, sustenta seus trabalhos de evangelização e realiza muitíssimas obras de caridade e assistência aos menos favorecidos. Pelo dízimo, podemos viver as três virtudes mais importantes para todo cristão: a fé, a esperança e o amor-caridade, que nos levam mais perto de Deus. O dízimo é um compromisso. Representa a nossa vontade de colaborar, de verdade, com o Projeto Divino neste mundo.

A palavra “dízimo” significa “décima parte”, e a sua origem está nos 10% que os judeus davam de tudo o que colhiam da terra com o seu trabalho. Também hoje todos são convidados a oferecer, de fato, a décima parte daquilo que ganham, mas isso não é um preceito: ninguém é obrigado e ninguém deve ser constrangido a fazê-lo. O importante é entender que o dízimo não é esmola. Deus, que jamais nos priva da nossa liberdade, merece a doação feita com alegria. – O que é doado de boa vontade faz bem a quem dá e a quem recebe!

O que é preciso para ser dízimo?

Cada pessoa deve definir livremente, sem tristeza nem constrangimento, qual percentual dos seus ganhos irá separar para o dízimo. Como visto, a Igreja não exige a doação de 10% de tudo o que você ganha. Porém, para ser considerado dízimo, é preciso que seja realmente um percentual, isto é, uma porcentagem dos seus ganhos, sendo no mínimo 1%. Se alguém ganha R$ 1.000,00 e oferece R$ 10,00, isto ainda pode ser considerado dízimo. Menos do que isso, porém, seria uma oferta.

A experiência pastoral comprova: aqueles que, confiantes na Providência Divina, optaram pelo dízimo integral, isto é, pela doação dos 10% de tudo o que ganham, não se arrependeram nem sentiram falta em seus orçamentos: ao contrário, muitos dizimistas dão o seu testemunho: depois que passaram a contribuir com a Igreja e a comunidade dessa maneira, passaram a se sentir especialmente abençoados: Deus não desampara os que nele confiam.

Mas isso não quer dizer que devemos dar o dízimo esperando “ganhar em dobro”, nem receber algo em troca, como se pudéssemos barganhar com Deus. Aqueles que ensinam tais coisas nada entendem de cristianismo, não compreendem o contexto bíblico e menos ainda o significado departilha, tão presente na Igreja primitiva.

Jesus Cristo diz que há mais bem-aventurança em dar do que em receber (At 20, 35). Dar pensando no que se receberá de volta, portanto, não é dar, é negociar, é trocar, é barganhar. Só é possível dar, no sentido cristão, quando não se espera nada em troca.

A entrega do dízimo normalmente é mensal, porque a maioria das pessoas recebe salário todo mês. Já os que recebem semanalmente, por exemplo, podem combinar de entregá-lo uma vez por semana. O importante é saber que o dízimo deve ser entregue na comunidade com a mesma regularidade com que se recebem os ganhos regulares.

Já as ofertas são doações espontâneas, com as quais o fiel também pode e deve participar da vida em comunidade, mas nesse caso não existe a regularidade, como no caso do dízimo. – Você pode e deve doar na hora do ofertório, durante as Missas, ou fazer depósitos nas caixas de coleta, mas não se trata de um compromisso fixo assumido com Deus, e sim de uma manifestação de amor e de confiança.

Cada vez mais católicos se conscientizam da importância do dízimo e das ofertas. É bom encontrar as igrejas limpas, bem equipadas, com tudo funcionando bem… Mas, infelizmente, muitos se esquecem de que, para isso, todos precisam colaborar! Somos a Família do Senhor, e cada templo da Igreja é uma casa de todos nós. A Igreja conta com o seu desejo de viver em Cristo, de assumir de fato o papel e a missão de ser, junto com seus irmãos de fé, membro de um mesmo Corpo: aceite o chamado de nosso Pai Eterno e diga sim ao compromisso de levar adiante os trabalhos evangelizadores da sua paróquia.

Informe-se sobre como se tornar um dizimista e faça bem a sua parte.

“Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama a quem dá com alegria.” (2Cor 9,7)

Fonte: O Fiel Católico

Forania de Bacabal refletirá nova dinâmica de preparação para o Batismo

No próximo dia 24 (sábado), às 14:00h no salão da Matriz de Sant'Ana e São Joaquim,  agentes de pastorais da Forania de Santa Teresinha (que abrange as Paróquias Sant'Ana e São Joaquim, São Francisco e Santa Teresina de Bacabal; Paróquia São Francisco de Assis de Lago Verde; e Sagrado Coração de Jesus e Maria, de Bom Lugar) deverão participar de um encontro no qual refletirão o subsídio que será lançado pela diocese com orientações para o Batismo de crianças.

O subsídio "Batismo: Preparação e Celebração" , que está em fase final de análise, servirá de base para toda a Diocese de Bacabal no que se referente ao sacramento em questão e trará uma nova dinâmica para a realização do mesmo, dando ênfase na participação mais ativa dos pais, dos padrinhos, na inserção da família na comunidade e no posterior acompanhamento da criança batizada.

Este momento será de extrema importância, pois a Igreja no Brasil assumiu a Iniciação à Vida Cristã como prioridade, assim como a Diocese de Bacabal em sua última Assembleia Pastoral e este subsídio vem como uma resposta a anseios que desde muito tempo surgem no sentido da preparação para o Sacramento do Batismo, que muitas vezes encontra-se fragmentada, ultrapassada e que não contribui para que os envolvidos tornem-se verdadeiramente discípulos missionários, como a Igreja anseia.

Estudo em outras Foranias

Para facilitar o estudo do livro e também na organização dos encontros, o bispo Diocesano e atraves da Comissão Diocesana de Iniciação à Vida Cristã decidiu realizar encontros por Foranias, com o objetivo de envolver mais pessoas e facilitar a logística, já que a Diocese é grande e composta de 27 municípios. Por isso, o calendário ficou assim definido:

24 de fevereiro, na Matriz de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro / Lima Campos-MA
03 de março, na Matriz de São Pedro / Poção de Pedras-MA

Paróquia Sant'Ana e São Joaquim contará com a colaboração de novos Ministros Extraordinários da Eucaristia, Palavra e Exéquias

Distribuir a Comunhão Eucarística na Missa e Celebrações da Palavra; Levar Jesus Eucarístico aos enfermos, idosos, aos que não podem ir recebê-lo junto da comunidade reunida; Presidir a Celebração da Palavra; Promover, coordenar e animar as adorações a Jesus na Eucaristia, para que sejam frutuosas aos participantes; Evangelizar sobre a Eucaristia através de uma Catequese, onde ressalte a verdade sobre a presença real de Jesus neste Sacramento; Cuidar das coisas ligadas à Jesus Eucarístico: Capela do Santíssimo, Sacrário, âmbulas, cálices, altar, ornamentação, etc... Estar sempre atento para que tudo esteja ordem, bem feito e bem cuidado...

Essas são algumas das tarefas que leigos e leigas de nossa Paróquia passarão a assumir a partir do próximo dia 25 de fevereiro, quando receberão provisões para os Ministérios da Eucaristia, da Palavra e das Exéquias. A celebração acontecerá na Matriz a partir das 19:00h e deverá contar com a presença de todas as forças vivas de nossas comunidades.

Como parte do itinerário formativo, que começou em agosto de 2017, no último domingo os candidatos participaram de um retiro no salão paroquial da Matriz, com início às 08:00h e término ao meio dia. Sob a orientação de Padre Thiago, os participantes refletiram sobre os aspectos humano, pastoral e missionário da Eucaristia; além de estudarem sobre as relações humanas, com Fontineles. Na oportunidade, também puderam tirar dúvidas sobre o trabalho a ser realizado. 

O orientador espiritual da equipe de Ministros Extraordinários reforçou no encontro a seriedade que requer o trabalho desses leigos, realçando o caráter missionário destes, que deverão sempre estar dispostos a levar a Eucaristia aos doentes pelo menos duas vezes ao mês. "Não deverá haver nenhum Ministro que não realize essas visitas, conforme disponibilidade", alertou. 

O ponto culminante e final do encontro foi um momento de adoração eucarística, fonte e ápice da espiritualidade do ministro. Um momento forte de comunhão com Deus e que serviu também para reforçar o chamado a este trabalho tão significativo em nossas comunidades. 
Ao todo, 32 novos agentes receberão o encargo.

Ministros Extraordinários que já exercem o serviço

Também na celebração, 40 Ministros da etapa anterior renovarão suas provisões, continuando o trabalho pastoral.

Confirma algumas fotos:
Fotografia: Lourival Albuquerque

19.2.18

Diocese de Bacabal: Aberta oficialmente a Campanha da Fraternidade 2018

Com a presença de fiéis de Bacabal, Lago Verde, Bom Lugar e São Luis Gonzaga, foi aberta oficialmente a Campanha da Fraternidade em nossa Diocese em uma grande celebração na Matriz de Sant’Ana e São Joaquim no último sábado (17).

Dom Armando, bispo de Bacabal presidiu a Missa ao lado de párocos, vigários paroquiais e diáconos da Forania de Santa Teresinha, que compreende as cidades acima mencionadas. A temática da CF  “Fraternidade e superação da violência”, que visa além de mapear a violência, colocar também em evidência as iniciativas que existem para superá-la, bem como despertar novas propostas com esse objetivo foi destacada desde o início da cerimônia, com um grande painel à vista de todos. Após a homilia, em que o Dom Armando destacou a importância desta iniciativa da Igreja no Brasil, convocando os fiéis a engajarem-se neste intuito, foi apresentada uma encenação que retratava situações do nosso dia a dia que coloca-nos frente a frente à violência, que foi evidenciada não somente como a física, mas que perpassa outros níveis e que nos atinge até mesmo sem que percebamos, como o caso das ideologias impostas pela televisão, o sentimento de vingança que toma conta de nossas relações e nossa participação em pequenas e as vezes quase imperceptíveis - de tão entranhados em nosso meio - atos de corrupção.

“O lema da Campanha da Fraternidade 2018 é um convite para a superação da violência por meio do reconhecimento de que cada pessoa humana é irmão", reforçou o bispo.

Ao final da celebração, foram ainda apresentados trabalhos da diocese que colaboram com a superação da violência, como o caso da Fazenda da Esperança e seu trabalho junto às vítimas de drogas e o CVV (Centro de Valorização da Vida), implantado na Paróquia Sant’Ana e que nesta terça-feira (20), receberá um posto em Bacabal - o primeiro do Maranhão.
Confira algumas fotos da celebração:
Fotografia: Lourival Albuquerque

16.2.18

Vivendo o tempo especial da Quaresma

Neste tempo especial de graças que é a Quaresma devemos aproveitar ao máximo para fazermos uma renovação espiritual em nossa vida. O Apóstolo São Paulo insistia: “Em nome de Cristo vos rogamos: reconciliai-vos com Deus!” (2 Cor 5, 20);  “exortamo-vos a que não recebais a graça de Deus em vão. Pois ele diz: Eu te ouvi no tempo favorável e te ajudei no dia da salvação (Is 49,8). Agora é o tempo favorável, agora é o dia da salvação.” (2 Cor 6, 1-2).

Cristo jejuou e rezou durante quarenta dias (um longo tempo) antes de enfrentar as tentações do demônio no deserto e nos ensinou a vencê-lo pela oração e pelo jejum. Da mesma forma a Igreja quer ensinar-nos como vencer as tentações de hoje. Daí surgiu a Quaresma.

Na Quarta-Feira de Cinzas, quando ela começa, os sacerdotes colocam um pouquinho de cinzas sobre a cabeça dos fiéis na Missa. O sentido deste gesto é de lembrar que um dia a vida termina neste mundo, ”voltamos ao pó” que as cinzas lembram. Por causa do pecado, Deus disse a Adão: “És pó, e ao pó tu hás de tornar”. (Gênesis 2, 19)

Este sacramental da Igreja lembra-nos que estamos de passagem por este mundo, e que a vida de verdade, sem fim, começa depois da morte; e que, portanto, devemos viver em função disso. As cinzas humildemente nos lembram que após a morte prestaremos  contas de todos os nossos atos, e de todas as graças que recebemos de Deus nesta vida, a começar da própria vida, do tempo, da saúde, dos bens, etc.

Esses quarenta dias, devem ser um tempo forte de meditação, oração, jejum, esmola (“remédios contra o pecado”). É tempo para se meditar profundamente a Bíblia, especialmente os Evangelhos, a vida dos Santos, viver um pouco de mortificação (cortar um doce, deixar a bebida, cigarro, passeios, churrascos,  a TV, alguma diversão, etc.) com a intenção de fortalecer o espírito para que possa vencer as fraquezas da carne.

Cadastre-se grátis e receba os meus artigos no seu e-mail

Na Oração da Missa de Cinzas a Igreja reza: “ Concedei-nos ó Deus todo poderoso, iniciar com este dia de jejum o tempo da Quaresma para que a penitência nos fortaleça contra o espírito do Mal.”

Sabemos como devemos viver, mas não temos força espiritual para isso. A mortificação fortalece o espírito. Não é a valorização do sacrifício por ele mesmo, e de maneira masoquista, mas pelo fruto de conversão e fortalecimento espiritual que ele traz; é um meio, não um fim.

Quaresma é um tempo de “rever a vida” e abandonar o pecado (orgulho, vaidade, arrogância, prepotência, ganância, pornografia, sexismo, gula, ira, inveja, preguiça, mentira, etc.). Enfim, viver o que Jesus recomendou: “Vigiai e orai, porque o espírito é forte mas a carne é fraca”.

Embora este seja um tempo de oração e penitência mais profundas, não deve ser um tempo de tristeza, ao contrário, pois a alma fica mais leve e feliz. O prazer é satisfação do corpo, mas a alegria é a satisfação da alma.

Santo Agostinho dizia que “o pecador não suporta nem a si mesmo”, e que “os teus pecados são a tua tristeza; deixa que a santidade seja a tua alegria”. A verdadeira alegria brota no bojo da virtude, da graça; então, a Quaresma nos traz um tempo de paz, alegria e felicidade, porque chegamos mais perto de Deus.

Para isso podemos fazer uma Confissão bem feita; o meio mais eficaz para se livrar do pecado. Jesus instituiu a Confissão em sua primeira aparição aos discípulos, no mesmo domingo da Ressurreição (Jo 20,22) dizendo-lhes: “a quem vocês perdoarem os pecados, os pecados estarão perdoados”. Não há graça maior do que ser perdoado por Deus, estar livre das misérias da alma e estar em paz com a consciência.

Jesus quis que nos confessemos com o Sacerdote da Igreja, seu ministro, porque ele também é fraco e humano, e pode nos compreender, orientar e perdoar pela autoridade de Deus. Especialmente aqueles que há muito não se confessam, têm na Quaresma uma graça especial de Deus para se aproximar do Confessor e entregar  a Cristo nele representado, as suas misérias.

Uma prática muito salutar que a Igreja nos recomenda  durante a Quaresma, uma vez por semana, é fazer o exercício da Via Sacra, na igreja, recordando e meditando a Paixão de Cristo e todo o seu sofrimento para nos salvar. Isto aumenta em nós o amor a Jesus e aos outros.

Não podemos esquecer também que a Santa Missa é a prática de piedade mais importante da fé católica, e que dela devemos participar, se possível, todos os dias da Quaresma. Na Missa estamos diante do Calvário, o mesmo e único Calvário. Sim, não é a repetição do Calvário, nem apenas a sua “lembrança”, mas a sua “presentificação”; é a atualização do Sacrifício único de Jesus. A Igreja nos lembra que todas as vezes que participamos bem da Missa, “torna-se presente a nossa redenção”.

Assim podemos viver bem a Quaresma e participar bem da Páscoa do Senhor, enriquecendo a nossa alma com as suas graças extraordinárias; podendo ser melhor e viver melhor.

Prof. Felipe Aquino

"Fraternidade e Superação da Violência": Campanha da Fraternidade 2018 será aberta oficialmente neste sábado (17)

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil lançou no último dia 14 - Quarta Feira de Cinzas,  a Campanha da Fraternidade (CF) 2018. Esse ano, o tema abordado pela igreja católica, "Fraternidade e Superação da Violência", aborda uma preocupação dos moradores de Bacabal: o aumento da criminalidade na cidade.

Através das diversas mídias que temos à disposição da sociedade, incluindo os aplicativos como whatsapp, os blogs, sites, canais televisões, entre outros, temos uma dimensão de quanto a violência tem tomado conta da nossa sociedade, ceifado vidas inocentes - principalmente de jovens. Tendo em vista, tudo isso, a Igreja propõe para neste ano essa reflexão. E não somente alto teórico, mas que cada cristão comprometa-se a buscar o combate à violência e ser instrumento de paz e justiça.

O número de homicídios no Maranhão cresceu 209,4% em dez anos, de acordo com informações do Atlas da Violência 2016, estudo desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa Econômica aplicada (IPEA) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FPSP). O levantamento também apontou que os 59,6 mil assassinatos ocorridos no Brasil representam 10% dos homicídios no mundo.

No Brasil, seis estados aparecem com evolução na taxa de homicídios superior a 100%. Todos eles pertencem à região nordeste. Depois do Rio Grande do Norte, que teve aumento da violência por homicídio de 360,8% em 10 anos, aparece o Maranhão.

Em nossa cidade de Bacabal não temos conhecimento de levantamentos estatísticos desta natureza. O que temos é a sensação cada vez maior de impunidade, de insegurança e de falta de políticas públicas efetivas no combate a este mal. 

Lançamento em Bacabal

Com objetivo de “construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência", a Diocese de Bacabal lançará oficialmente a Campanha da Fraternidade 2018.

O evento que marcará este momento forte do tempo quaresmal será na Matriz de Sant'Ana e São Joaquim, neste sábado (17), a partir das 18:00h. Na ocasião, estarão presentes Dom Armando - bispo diocesano, o clero da cidade e das cidades vizinhas, além de autoridades e o povo em geral.

A Campanha da Fraternidade é uma campanha realizada anualmente pela Igreja Católica Apostólica Romana no Brasil, sempre no período da Quaresma. Seu objetivo é despertar a solidariedade dos seus fiéis e da sociedade em relação a um problema concreto que envolve a sociedade brasileira, buscando caminhos de solução. A cada ano é escolhido um tema, que define a realidade concreta a ser transformada, e um lema, que explicita em que direção se busca a transformação. A campanha é coordenada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

17.1.18

14º Intereclesial das CEB's terá representantividade de todas as Dioceses do Maranhão

Acontecerá entre os dias 23 e 27 de janeiro, em Londrina-PR, o 14º Intereclesial das CEBs.  Para este ano, o tema a ser refletido é: “CEBs e os desafios no mundo urbano”e lema“Eu ouvi os clamores do meu povo e desci para libertá-los” (Ex 3,7).

O Intereclesial é sempre um momento bonito e importante da Igreja do Brasil, e este ano de 2018, será um ano especial, porque comemora-se os 50 anos da Conferência de Medellín, Colômbia, no ano de 1968, onde os bispos viram a realidade da Igreja e da sociedade na America Latina, e então adotaram para a Igreja do continente da América Latina, esse “novo jeito de ser Igreja” que é as Comunidade Eclesiais de Base.

Para o 14º Intereclesial das CEBs,delegados de todo o Brasil e também de Países da América se mobilizam para juntos celebrarem a diversidade cultural e a beleza de viver o Evangelho.

Só do Estado do Maranhão, que fica localizado região nordeste do Brasil, 100 delegados representantes das 12 Dioceses do Regional irão participar deste momento bonito de partilha da vida, fé e esperança das diversas comunidades espalhadas por todo o Brasil.

Segundo Martha Bispo, coordenadora das CEBs no Maranhão, há dois anos o regional vem se preparando para este grande momento.  Afirma ainda, que foram realizados quatro encontros com representantes das doze Dioceses do Regional e o Catorzinho com todos os delegados que irão participar do 14ª Intereclesial em Londrina-PR.

Ainda de acordo com Martha Bispo, as expectativas “é de que ao final do encontro os participantes possam retornar às suas bases mais fortalecidas na vivência das CEBs para responder aos desafios do mundo urbano”.

As CEBs é um novo modelo eclesial, aonde há mais participação dos leigos, reconhecimento do papel e protagonismo da mulher, permitindo assim outra concepção ministerial frente aos atuais desafios da globalização com engajamento político e as diferentes formas de inter-relacionamento social.

Dom Enemésio Ângelo Lazzaris, Bispo da Diocese de Balsas – MA e Presidente Nacional da Comissão Pastoral da Terra – CPT, lembra que até pouco tempo as CEBs eram voltada para as comunidades rurais, porém com o crescimento do êxodo rural, onde levou grande parte da população que habitava no campo à migrarem para as grandes cidades, é necessário rever a atuação das CEBs, por isso o tema “CEBs e os desafios do mundo urbano”.O mesmo ressalta ainda que,“o 14º Intereclesial das CEBs será um momento forte que vai ajudar as lideranças (da Igreja) a assumirem mais uma vez esse Jeito Novo de Ser Igreja, esse Jeito Diferente da Igreja Ser”.

Os Encontros dos Intereclesiais foram fundamentais para se pensar a eclesiologia vindo das bases às CEBs na linha de redes de comunidades. E organizar a Igreja em redes de comunidades, significa atualizar a compreensão eclesial tornando-a flexível, dialógica e ministerial.

Por Eneas  Silva. Comunicação CEBs do Brasil Regional NE 5

13.1.18

Bacabal terá 1° núcleo do CVV. Treinamento para voluntários será no final deste mês!

A cidade de Bacabal terá o primeiro posto  do Centro de Valorização da Vida (CVV) do estado do Maranhão.

O CVV a realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email, chat e voip 24 horas todos os dias.

Diante de tantos casos de suicídio que ocorrem na região, de forma especial em nossa cidade, este acontecimento será de grande valia.

O encontro que iniciou todo esse processo  aconteceu no dia 08 de novembro de 2017, quando em reunião a sociedade civil organizada, autoridades municipais e eclesiais conheceram um pouco do trabalho do CVV. No próximo dia 20 de janeiro já será realizado o primeiro treinamento, visando formar voluntários para o trabalho. O mesmo será realizado no salão paroquial da Matriz de Sant'Ana e São Joaquim das 08:00h às 18:00h.

A capacitação será de uma carga horária de 32 horas, conforme a programação da Comissão Nacional de Expansão, em parceria dom a Comissão Nacional de PSV, tendo a supervisão da Regional Nordeste.

Desta forma, mais um Posto CVV para ser inserido na Rede Nacional de Prevenção do Suicídio que o CVV oferece.

A sede do Núcleo de Apoio à Vida de Bacabal - NAVIBAL, funcionará em uma sala cedida pela Secretaria Municipal da Saúde, junto ao Hospital Municipal. 

Mais informações deverão ser obtidas pelo telefone (99) 3621-1272 ou no site www.org.br.




12.1.18

Juventude católica começa 2018, ano em que será tema do Sínodo dos Bispos, com novidades

No ano em que a Igreja Católica tem a juventude como tema central da Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, no mês de outubro, os jovens católicos no Brasil dá demonstrações de que está conectada com este desafio. Em Rio Branco, capital do Acre, se realiza de 10 a 13 de março, o XII Encontro Nacional da Pastoral da Juventude, uma das organizações que integram o trabalho da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O encontro que, tem como tema: “Txai: da seiva da vida, a festa do bem viver”, está promovendo diálogos sobre a realidade social e eclesial sobre a realidade da juventude brasileira. O primeiro “diálogo à beira do poço” reuniu o Padre Luiz Ceppi, que atua no Acre há 34 anos, junto da jovem e assistente social potiguar, Janaina Sales, do ex-presidente do Conselho Nacional da Juventude, Daniel Souza, e da coordenadora de projetos do Anchietanum, Vanessa Correia.

Dom Benedito Araújo, bispo referencial da juventude no Regional Noroeste, dom Nelson Francelino, bispo membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude participaram da mesa de abertura. Segundo dom Benedito, o ENPJ, além de ser um momento de experiências marcantes, também é um marco para a história da Pastoral da Juventude.

Os jovens que participam do 12º Encontro Nacional da Pastoral da Juventude (ENPJ) também estão realizando ações missionarias nas paróquias dos municípios de Rio Branco e do Bujari, no interior do Estado, durante a última terça-feira, 9. Antes de iniciar o dia missionário, a juventude do ENPJ vivenciou uma breve mística de envio. Os delegados foram divididos em equipes para visitarem 21 espaços de missão, distribuídos entre as paróquias da diocese e a Penitenciária Francisco de Oliveira Conde (FOC).

Francisca Eugênia, 68 anos, acolheu alguns jovens na Comunidade Nossa Senhora Aparecida, pertencente a Paróquia São João Batista, no Bujari, interior do Acre. Segundo ela, acolher essa juventude que vem de diversos lugares do Brasil, conhecendo as realidades locais, é motivo de muita alegria. “Ver jovens levando a palavra de Deus é a coisa mais linda, pois não vemos muito isso hoje em dia, somente notícias tristes. Então, perceber os jovens nessa caminhada é algo que me chama bastante atenção”, afirmou Eugênia.

Rota da Vida – Outra ação coordenada pela Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude é o projeto Rota da Vida. Baseado no tema da Campanha da Fraternidade 2018, “Fraternidade e Superação da Violência” e no lema “Em Cristo somos todos irmãos” (Mt 23,8), projeto que visa a valorização da vida e combate à violência e tem por objetivo dar mais um passo no aprofundamento da realidade juvenil no Brasil a partir do Mapa da Violência 2016 elaborado por Jacob e disponível em: www.mapadaviolencia.org.br.

O projeto é voltado para Educadores/as, professores/as, jovens líderes e acompanhantes de crianças, adolescentes e jovens. A partir do Mapa da Violência a Comissão Episcopal para a Juventude, em parceria com as Dioceses locais, desenvolverão encontros nessas localidades, as quais foram escolhidas pelo Ranking de índice de mortalidade, e a partir disso, uma nova pesquisa será feita a fim de tabular e responder o seguinte questionamento: Como e por qual motivo morre a juventude no Brasil? Os fóruns/encontros serão realizados nas capitais dos Estados com maior índice de violência juvenil de acordo com o último levantamento feito pela pesquisa citada acima, são eles: Alagoas – Maceió; Natal – Rio Grande do Norte; Ceará – Fortaleza;  Sergipe – Aracaju; Maranhão – São Luis do Maranhão; Espírito Santo – Vitória e Goiás – Goiânia.

Os seminários/fóruns nessas cidades querem contribuir para uma reflexão mais ampla junto às pessoas que trabalham na educação e no acompanhamento de adolescentes e jovens. A primeira Rota será em Macéio no próximo dia 20/02. O segundo encontro será em Natal no dia 9 de Março. Os demais encontros estão sendo agendados de acordo com a disponibilidade das Dioceses.

11.1.18

Renovação Carismática realizará o Cerco de Jericó

Do dia 12 a 18 de janeiro será realizado na Comunidade Nossa Senhora da Conceição (Porta Aberta) o Cerco de Jericó, promovido pela Renovação Carismática Católica.

O Cerco de Jericó envolve 7 dias e 7 noites de oração, 24 horas. No livro de Josué capítulo 6, o povo de Israel fez-se diante das grandes muralhas de Jericó que os impediam de prosseguir a caminhada. Obedecendo a voz de Deus, Josué, sucessor de Moisés, líder do povo, convidou os israelitas a orarem durante 7 dias e 7 noites rodeado as muralhas de Jericó, tendo em frente a arca da Aliança, sinal da presença de Deus, que caminha com seu povo. Josué e os israelitas acreditaram na promessa divina que o sétimo dia,durante a sétima volta as muralhas cairiam e eles alcançariam a Vitória, coisa que de fato aconteceu porque o Senhor é fiel e cumpre suas promessas.

Este momento importante de clamor a Deus começará a partir das 18:00h.

Todos são convidados a participar!