sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Democracia: esta será a palavra central dos trabalhos das Semanas da Cidadania e do Estudante em 2017. Representantes da Pastoral da Juventude (PJ), Pastoral da Juventude Estudantil (PJE) e Pastoral da Juventude Rural (PJR) definiram as temáticas das atividades permanentes, que também serão trabalhadas pela Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP), em seminário realizado no Colégio Marista Dom Silvério, em Belo Horizonte/MG, em 27 e 28 de agosto.

A Semana da Cidadania será realizada de 15 a 22 de abril, com o tema: “Democracia para quem e para quê?”- e o lema: “Todo poder emana do povo” (art. 1°, parágrafo único, CF/88). A Iluminação bíblica é da Carta de Tiago (3, 18): “O fruto da justiça se semeia na paz para aqueles que praticam a paz”.

Para a Semana do Estudante, que será realizada de 05 a 12 de agosto, o lema escolhido foi: “Escola democrática: sem lado não dá” – e a iluminação bíblica: “Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça” (Mt 5, 10a).

O jovem Vinícius Borges, que faz parte da Coordenação Nacional da PJ, explicou que a temática nasce da necessidade de discutir o papel da juventude no atual momento histórico do Brasil. “As Pastorais da Juventude decidiram falar de democracia, porque temos rezado os movimentos que acontecem no país nos últimos tempos. Falar de democracia é falar do nosso direito a ter voz e vez; é falar dos estudantes que ocuparam as escolas em vários lugares do país; é falar das ameaças a direitos fundamentais garantidos pela constituição. Seguir Jesus é lutar pela justiça e atender a seu chamado para semear a paz: e isso só se faz com democracia plena”, ressaltou.

As Atividades Permanentes são trabalhos realizados em conjunto pelas Pastorais da Juventude do Brasil. Em 2017 serão lançados os materiais e subsídios, que vão ajudar os grupos de base a vivenciarem as Semanas da Cidadania e do Estudante.

Com colaboração de Vinícius Borges (PJ) e Iago Ervanovite (PJE
As sextas-feiras na Paróquia Sant'Ana e São Joaquim não serão mais as mesmas. Isto porque desde a última semana, este dia inteiro tem sido dedicado à Adoração Eucarística.

Semanalmente, os fiéis terão a oportunidade de estar mais próximos da presença do Senhor na Eucaristia, desde as primeiras horas do dia. Às 06:30h haverá a celebração da Santa Missa, finalizando com a exposição do Santíssimo, que durante todo o dia ficará sob visitação pública, até às 18:30h, quando novamente será rezada a Missa, finalizando este momento de adoração.

Para melhor organização, também foi montada uma programação onde os grupos, pastorais e movimentos foram contemplados, dedicando momentos específicos. Cada um terá cerca de 1 hora, onde terá oportunidade de aumentar a espiritualidade dos congregados. Segue a escala:

06:30h: Celebração da Santa Missa
07:00h: Ministros Extraordinários 
08:00h: Legião de Maria
09:00h: Legião de Maria
10:00h: Pastoral da Acolhida
11:00h: Pastoral do Dízimo
12:00h: Pastoral Familiar
13:00h: Terço dos Homens
14:00h: Legião de Maria
15:00h: Apostolado da Oração e Irmandade São José
16:00h: Ordem Franciscana Secular (OFS) e Ministros Extraordinários
17:00h: Jovens e Coroinhas
18:00h: Renovação Carismática Católica (RCC) e Catequese
18:30h: Celebração da Santa Missa

Adorar

A palavra “adorar” é uma palavra que vem do latim “adorare”. Adorare, por sua vez, é uma palavra que se formou pela junção da partícula “ad” (que expressa movimento: “em direção a”) com o verbo “orare” (que vem de “os/oris”, significando “a boca” ou também “o rosto”, “a face”). Assim sendo, “adorare” significa no fundo o movimento de aproximar a boca, ou o rosto, ou a face, e até mesmo o coração e todo o ser; buscar colar-se ao objeto de imensa estimação. O beijo poderia representar tal movimento. Mas, na palavra “adorare” temos, sobretudo, o movimento de buscar se identificar, formar um só corpo, uma só carne, com o objeto ou pessoa amada e tudo o que ela significa. É o que a palavra “adorar”, na sua origem, parece evocar. E adorar a Deus? É ter tanta admiração por Ele e seu projeto de vida para todos, que o meu (ou nosso) desejo é estar n’Ele e Ele em mim (ou em nós), formando com Ele um só corpo e, de fato, me lanço na realização deste desejo, que é também desejo de Deus, em primeiro lugar. Eu o adoro porque, em primeiro lugar, ele me “adora”.

Adorar o Santíssimo Sacramento

Falamos em “adorar o Santíssimo Sacramento”. A expressão “Santíssimo Sacramento” tem a ver com Jesus Cristo presente no Pão consagrado. Por que “sacramento”? Sacramento tem a ver com sinal, símbolo. Então, no sinal, símbolo, figura do pão (e do vinho), cremos realmente presente o Senhor Jesus. Ele se faz, por força do Espírito, tão intensa e intimamente presente, a ponto de afirmarmos que o Pão consagrado é o próprio Corpo d’Ele. Ele se “abaixa” à condição de matéria (pão, vinho) para, assim, nos alimentar com sua Presença real e nos fazer entrar em comunhão com seu Corpo . Por isso que o sacerdote, ou ministro(a), ao mostrá-lo para você no momento da comunhão, diz: “O Corpo de Cristo”. E você responde: “Amém” (quer dizer: “Isso mesmo!”, “Assino embaixo”, “Assim é, e o acolho!”). E por que “Santíssimo”? Porque no Pão (e no Vinho) está Aquele que se reservou totalmente, como ninguém, a você (a nós todos): Ele é todo “seu”, todo “nosso”, comungando com você, sem reservas, santíssimo, para fazer de todos nós n’Ele um único Corpo! Ele nos “adora” por primeiro! “Isto é o meu corpo entregue… meu sangue derramado… por você”, diz Ele na missa e, silenciosamente, continua dizendo-o no Sinal sacramental, no Pão consagrado. Então, podemos dizer que “adorar o Santíssimo Sacramento” significa: colocar-se numa contemplativa e grata escuta desta Palavra (“Isto é meu corpo entregue… meu sangue derramado… por você”) e, a partir desta escuta, buscar mergulhar neste mesmo projeto de entrega de si pelos outros, a fim de que todos tenham vida em plenitude.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Se não fosse a Igreja Católica, não existiria a Bíblia como a temos hoje, com os 72 livros canônicos, isto é, inspirados pelo Espírito Santo.

“Foi a Tradição apostólica que fez a Igreja discernir que escritos deviam ser enumerados na lista dos Livros Sagrados”(DV 8; CIC,120).

Portanto, sem a Tradição da Igreja não teríamos a Bíblia. Santo Agostinho dizia: “Eu não acreditaria no Evangelho, se a isso não me levasse a autoridade da Igreja Católica”(CIC,119).

Por que a Bíblia católica é diferente da protestante?

Esta tem apenas 66 livros porque Lutero e, principalmente os seus seguidores,  rejeitaram os livros de Tobias, Judite, Sabedoria, Baruc, Eclesiástico (ou Sirácida), 1 e 2 Macabeus, além de Ester 10,4-16; Daniel 3,24-20; 13-14.

No ano 100 o Sínodo de Jâmnia (ou Jabnes):
(1) deveria ter sido escrito na Terra Santa;
(2) escrito somente em hebraico, nem aramaico e nem grego;
(3) escrito antes de Esdras (455-428 a.C.);
(4) sem contradição com a Torá ou lei de Moisés.

Versão dos Setenta: Alexandria – 200 anos antes de Cristo, incluiu os livros que os judeus de Jâmnia, por critérios nacionalistas, rejeitaram. Havia então no início do Cristianismo duas Bíblias judaicas: uma da Palestina (restrita) e a Alexandrina (completa – Versão dos LXX).

Os Apóstolos e Evangelistas optaram pela Bíblia completa dos Setenta (Alexandrina), considerando canônicos os livros rejeitados em Jâmnia.

Das 350 citações do Antigo Testamento que há no Novo, 300 são tiradas da Versão dos Setenta, o que mostra o uso da Bíblia completa pelos apóstolos.

Verificamos também que nos livros do Novo Testamento há citações dos livros que os judeus nacionalistas da Palestina rejeitaram. Por exemplo: Rom 1,12-32 se refere a Sb 13,1-9;  Rom 13,1 a  Sb 6,3;  Mt 27,43 a Sb 2, 13.18; Tg 1,19 a Eclo 5,11;  Mt 11,29s a Eclo 51,23-30;  Hb 11,34 a 2 Mac 6,18; 7,42;  Ap 8,2 a Tb 12,15.

Nos mais antigos escritos dos santos Padres da Igreja (patrística) os livros rejeitados pelos protestantes (deutero-canônicos) são citados como Sagrada Escritura.

São Clemente de Roma, Papa, no ano de 95 escreveu a Carta aos Coríntios, citando Judite, Sabedoria, fragmentos de Daniel, Tobias e Eclesiástico; livros rejeitados pelos protestantes.

Pastor de Hermas, no ano 140, faz amplo uso de Eclesiástico, e do 2 Macabeus;

Santo Hipólito (†234), comenta o Livro de Daniel com os fragmentos deuterocanônicos rejeitados pelos protestantes, e cita como Sagrada Escritura Sabedoria, Baruc, Tobias, 1 e 2 Macabeus.

Vários Concílios confirmaram isto: os Concílios regionais de Hipona (ano 393); Cartago II (397), Cartago IV (419), Trulos (692). Principalmente os Concílios ecumênicos de Florença (1442), Trento (1546) e Vaticano I (1870).

Lutero, ao traduzir a Bíblia para o alemão, traduziu também os sete livros (deuterocanônicos) na sua edição de 1534, e as Sociedades Biblícas protestantes, até o século XIX incluíam os sete livros nas edições da Bíblia.

“Pela Tradição torna-se conhecido à Igreja o Cânon completo dos livros sagrados e as próprias Sagradas Escrituras são nelas cada vez mais profundamente compreendidas  e  se fazem sem cessar, atuantes.” (DV,8).

A Bíblia não define o seu catálogo; isto é, não há um livro da Bíblia que diga qual é o índice dela. Assim, este só pode ter sido feito pela Tradição dos apóstolos, pela tradição oral que de geração em geração chegou até nós.

A Vulgata – O Papa São Dâmaso (366-384), no século IV, pediu a S.Jerônimo que fizesse uma revisão das muitas traduções latinas que havia da Bíblia. São Jerônimo revisou o texto grego do Novo Testamento e traduziu do hebraico o Antigo Testamento, dando origem ao texto latino chamado de Vulgata, usado até hoje.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

O Cardeal Cláudio Hummes, Presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia, revela como surgiu a intenção da canonização dos primeiros protomártires nativos do Brasil.

Dom Cláudio foi recebido pelo Papa Francisco no dia 15/09, com o Arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, no Vaticano, para tratar do andamento do processo.

Segundo Dom Cláudio, em outubro próximo, a causa retorna para a Congregação das Causas dos Santos, para ser avaliada e encaminhada ao Pontífice.

“Levantei esta causa tempo atrás com o Papa Francisco, lembrando que ele havia canonizado outros beatos históricos antigos e que não há mais muita documentação a ser levantada. Ele já canonizou o beato Anchieta, o Padre Fabro, um dos fundadores da Companhia de Jesus. Numa audiência que tive com ele, me recordei destes nossos mártires e pensei ‘Por que não apresentar ao Papa esta questão?’ e escrevi em um memorando ‘se não era possível pensar numa canonização’. Ele reagiu muito positivamente e me disse para conversar com o Cardeal Amato, com o Presidente da CNBB, com o Arcebispo de Natal foi o que eu fiz. E na carta do Cardeal Amato constava o meu nome porque eu tinha apresentado a questão ao Papa. E foi por isso que Dom Jaime quis que eu estivesse com ele nesta audiência (do dia 15/09, ndr) neste momento em que ele sabe que a coisa está andando bem”.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Terminou neste domingo (11) o Festejo em honra a Nossa Senhora Rainha da Paz, na Vila que leva o nome da santa.

A última noite da festa iniciou-se com a procissão luminosa, que reuniu não só pessoas do bairro, mas de todas as comunidades da Paróquia Sant'Ana e São Joaquim. Guiados pelo espírito de fé, durante todo o percurso os fiéis cantavam, refletiam sobre a temática abordada durante as 9 noites - a Misericórdia - e rezavam. Depois de passar por várias ruas, chegaram à igreja recém levantada para celebrar a Santa Missa de encerramento, presidida por Padre Ribamar. 

Ao final da celebração, a sra. Lourdes agradeceu a Padre Ribamar por aquela construção, após algum tempo celebrando e participando das missas em um barraco improvisado, o que foi calorosamente aplaudido. Durante sua fala, o pároco pediu ainda mais união à comunidade e compartilhou com todos em transformar aquela comunidade em um sinal da presença de Deus. Pediu que todos ajudassem nesse sentido, tendo em vista tantas famílias que ainda não experimentaram esta graça. 

Confira algumas fotos:
Fotografia: Lourival Albuquerque
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) juntamente com a MESA PRO BICE BRASIL, constituída por onze organizações destinadas em sua missão a renovar, permanentemente, a vivência do compromisso com a dignidade das crianças e dos adolescentes, assinarão na próxima sexta-feira, 16, o acordo de Cooperação pela Dignidade e Direitos das Crianças e Adolescentes Brasileiros. 

A iniciativa tem o objetivo de valorizar o trabalho conjunto das Instituições Católicas do Brasil e contribuir para a construção de um novo conceito de cidadania, pautado no respeito à dignidade, a promoção e a garantia dos direitos de cada criança e adolescente, atuando nas políticas públicas, educação, e na participação da criança e do adolescente, como eixos principais, mediante estratégias de diálogo entre gerações e o exercício de direitos. 

Assinam o acordo de Cooperação pela Dignidade e Direitos das Crianças e Adolescentes Brasileiros, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB); a Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (ANEC); o Bureau International Catholique de l’Enfance (BICE); a Cáritas Brasileira; a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), a Pastoral da Criança – organismo vinculado à CNBB; a Pastoral do Menor – organismo ligado à CNBB; a Rede Jesuíta Brasil; a Rede La Salle; a Rede Salesiana do Brasil e a União Marista do Brasil. 

O evento acontecerá na sede da CNBB, em Brasília (DF), às 10h30. Para participar, é necessário confirmar presença até o dia 14 de setembro, pelo e-mail: escritorio.brasilia@lasalle.org.br ou pelo telefone: (61) 3264-8626 ou 99214-8598. 

domingo, 11 de setembro de 2016

Cumpre-nos o triste dever de informar do falecimento de nossa irmã em Cristo, Maria das Dores da Silva, carinhosamente conhecida por Dora (74 anos), ocorrido por volta das 10 horas deste domingo, dia do Senhor (11).

Pequena na estatura, era uma mulher grande de coração, de serviço e de missão e durante todos esses anos, serviu com fidelidade e amor a Comunidade São João Batista, como Legionária, membro do Conselho Comunitário, da Liturgia e Ministra Extraordinária da Comunhão Eucarística. Em todos os eventos da paróquia podíamos contar com sua presença e colaboração.

Seu amor pela missão e por sua comunidade ficarão, com certeza, refletidos em todos aqueles que tiveram a grata satisfação em conhecê-la e compartilhar de sua alegria e fé.

De nossa parte, solidarizamo-nos com toda comunidade de São João Batista e com a família. 

"Então disse Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá" (João 11,25)
 Padre Ribamar Cardoso Lima, Pároco
Pastoral da Comunicação

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Surgida em outubro de 2012, a Comunidade Nossa Senhora Rainha da Paz é a igreja mais nova de nossa Paróquia e está localizada no bairro Vila da Paz. 

Durante esses últimos anos, os festejos da comunidade eram realizados embaixo de uma estrutura de madeira muito simples. Por um desejo do pároco e dos fiéis daquela localidade, com a ajuda de várias pessoas e comunidades, tem-se em andamento a construção de uma grande igreja para que os filhos de Deus daquele bairro possam congregar-se e deste o último dia 02 festejam sua padroeira em um clima de muita alegria e acolhimento. 

Depois de 9 noites, a festa encerra-se neste domingo (11) com uma procissão às 18:00h que percorrerá o bairro, encerrando-se com uma grande celebração.

Confira algumas fotos:
Fotografia: Lourival Albuquerque
Em recente encontro com os catequistas da Paróquia, Padre Ribamar juntamente com a coordenação da Catequese resolveram ampliar a escola catequética, universalizando sua participação, abrindo para que todos que quisessem dela participassem. E assim foi feito no último dia 04 de setembro, a partir das 08:00h.

Com a participação de mais de 50 pessoas, deu-se início oficialmente à Escola da Fé da Paróquia Sant'Ana e São Joaquim, que acontecerá mensalmente proporcionando formação não só para os agentes de pastoral, mas para todos os fiéis que querem ampliar seus conhecimentos nos assuntos de fé. 

O encontro do dia 04 contou com a assessoria de Frei Ivaldo Mendonça, OFM, que tratou sobre a Bíblia, sua origem, inspiração e maneiras de lê-la corretamente, extirpando toda e qualquer leitura fundamentalista. Ao final, fez um exercício prático com os participantes, que puderam experienciar a leitura orante da Palavra de Deus, método amplamente difundido na Igreja, mas que muitos ainda têm dificuldade.

Frei Ivaldo, para melhor esclarecer, aprofundou também o texto da Dei Verbum no que diz respeito às Sagradas Escrituras: "As coisas reveladas por Deus, contidas e manifestadas na Sagrada Escritura, foram escritas por inspiração do Espírito Santo. Com efeito, a santa mãe Igreja, segundo a fé apostólica, considera como santos e canônicos os livros inteiros do Antigo e do Novo Testamento com todas as suas partes, porque, escritos por inspiração do Espírito Santo (cfr. Jo. 20,31; 2 Tim. 3,16; 2 Ped. 1, 19-21; 3, 15-16), têm Deus por autor, e como tais foram confiados à própria Igreja. Todavia, para escrever os livros sagrados, Deus escolheu e serviu-se de homens na posse das suas faculdades e capacidades, para que, agindo Ele neles e por eles , pusessem por escrito, como verdadeiros autores, tudo aquilo e só aquilo que Ele queria".

O encontro finalizou-se por volta de 12:00h.

Próximos encontros: 

Dia 16 de outubro: O chamado que desperta a adesão a Jesus / Jesus, o enviado do Pai / O perfil do catequista e do catequista Jesus / Jesus anuncia o Reino de Deus (Padre Johon Sidney). Horário: das 08:00h às 12:00h
Dia 06 de novembro: Liturgia e Catequese (Assessoria: Frei Ribamar). Horário: das 08:00h às 12:00h
Dia 04 de dezembro: Assembleia Paroquial de Catequese (Planejamento, organização e eleição da coordenação)
Fotografia: Lourival Albuquerque
No último dia 31 de agosto a comunidade do Bairro Santos Dumont encerrou o festejo em honra a seu padroeiro, São Raimundo. 

Após 10 noites de intensas atividades religiosas e culturais, os fiéis puderam participar às 18:00h da procissão de encerramento da festa, que percorreu algumas ruas do bairro, até retornar ao largo daquela comunidade, onde houve a Missa presidida por Padre Ribamar e concelebrada por Frei Ivaldo, Frei Marcos e Diácono Ariosvaldo. 

Confira algumas fotos do encerramento do festejo.

Fotografia: Francisco Jane
De 26 a 28 de agosto a Diocese de Bacabal realizou mais uma etapa de sua caminhada celebrativa dos seus 50 anos de existência: o 3º Retiro das Santas Missões Populares, realizados na Matriz de Sant'Ana e São Joaquim e que contou com a presença de centenas de missionários.

Além de todas as prerrogativas, este retiro teve um elemento especial: a presença do Padre Luis Mosconi, precursor desse movimento missionário que iniciou em Xinguara-PA e espalhou-se pelo mundo a fora, despertando nos batizados a vocação à missão de Jesus Cristo. 

Ao longo dos três dias bem participados, os missionários puderam aprofundar-se na temática do encontro e também preparar-se para a grande Semana Missionária, programada para acontecer na diocese em 2017, seguindo-se com atividades cada vez mais intensas em 2018 até culminar com o aniversário de 50 anos da Diocese de Bacabal, celebrado em 1º de novembro daquele ano. 

Fotografia: Via Facebook - Autores diversos
O arcebispo de Aparecida (SP), Cardeal Raymundo Damasceno Assis, informou que, a partir do próximo mês de outubro, o Brasil terá um ano jubilar mariano. O período especial a ser vivido pela Igreja no Brasil integra as comemorações pelos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida.

O ano jubilar mariano será decretado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. O início será no próximo dia 12 de outubro, com a inauguração do Campanário do Santuário Nacional, obra que foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer.

“A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil vai decretar um ano Jubilar mariano a partir de outubro. Será um ano de graça, de modo especial para o Brasil: um momento de louvor e agradecimento especial a Deus por tudo aquilo que Ele tem feito por nós, por intercessão de Nossa Senhora Aparecida, nossa padroeira e nossa Rainha”, disse o cardeal.

Dom Damasceno recorda ainda que a devoção a Nossa Senhora faz parte da história do Brasil. “Maria sempre foi uma porta aberta ao conhecimento de Jesus; é o modelo de seguimento de Cristo, dos valores humanos que marcam a identidade religiosa do povo”.

Os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida será celebrado em 12 de outubro de 2017. É aguardada a presença do Papa Francisco na ocasião; ele mesmo disse que viria quando esteve no Brasil em 2013. A vinda do Papa, porém, ainda não foi oficialmente confirmada pela Santa Sé.
O Centro de Liturgia Dom Clemente Isnard, em parceria com a Rede Celebra e Centro Universitário Salesiano (Unisal), promove de 17 a 21 de outubro, a 30ª Semana de Liturgia.

O tema escolhido para reflexão está em sintonia com o Jubileu Extraordinário da Misericórdia: “O rosto da misericórdia de Deus”. A temática abordará a proposta do Ano Santo no mundo e na bíblia, na história e na liturgia da Igreja com o objetivo de capacitar os participantes a celebrarem a misericórdia “em uma liturgia que implique o compromisso de transformar a Igreja em rosto da misericórdia divina no mundo”.

O evento ocorrerá no Espaço Anhanguera do Centro de Pastoral Santa Fé, em São Paulo (SP).

A Semana de Liturgia tem vagas limitadas. Podem participar agentes da Pastoral Litúrgica, coordenadores regionais, diocesanos e paroquiais da Pastoral Litúrgica e da Catequese, professores de Liturgia e Sacramentos, bispos, presbíteros, diáconos e seminaristas.

Informações e inscrição estão disponíveis no folder do evento.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

“Este sistema é insuportável: exclui, degrada, mata!” é lema da 22ª edição do Grito dos Excluídos, que tem como tema “Vida em primeiro lugar”. A mobilização, com auge em 7 de Setembro, dia da Independência do Brasil, questiona e denuncia as várias formas de desigualdades do país, apontando qual o real papel do Estado diante das exclusões.

O lema escolhido para a ocasião está fundamentado em uma das falas do papa Francisco, durante o Encontro Mundial dos Movimentos Populares, na Bolívia, em julho de 2015. Na ocasião, Francisco falou da urgência em romper o silêncio e lutar por mudanças reais dentro do sistema capitalista, que não compreende o sentido do “cuidar da Casa Comum”.

O evento marca o Dia da Independência em diversas localidades do país, com o objetivo de “valorizar a vida e anunciar a esperança de um mundo melhor, construindo ações a fim de fortalecer e mobilizar pessoas para atuar nas lutas populares e denunciar as injustiças e os males causados por este modelo econômico excludente, que degrada e mata”. A organização do Grito acontece nos estados brasileiros, em parceria com as entidades e movimentos sociais.

De acordo com a coordenação nacional da articulação, “o Grito precisa continuar acontecendo e manifestando indignação diante de um sistema político e econômico que exclui e descarta a maioria da população da participação e decisão dos rumos do país, independentemente de partidos e governos. O desafio do Grito é estar no meio do povo como espaço de organização e mobilização, como um pequeno grande professor que contribui levando informação e formação e incentivando a participação popular, condição essa para construirmos as mudanças”.

O bispo de Ipameri (GO) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Guilherme Antônio Werlang, enviou uma carta de apoio ao 22º Grito dos Excluídos aos bispos e agentes de pastorais, na qual agradeceu o apoio recebido ao longo destes anos e ressaltou o comprometimento “a continuar gritando pela vida em primeiro lugar”. Dom Guilherme ainda solicitou “o efetivo apoio à essa iniciativa que renova a esperança dos pobres e os torna sujeitos de uma nova sociedade, sinal do Reino de Deus”.

Subsídios

Para garantir a formação da base, desde início de agosto foram oferecidos textos, divididos em eixos, que são subsídios informativos que interagem com o lema “Este sistema é insuportável: Exclui, degrada, mata!”. O primeiro disponibilizado, “Unir os generosos e as generosas”, foi escrito pelo assessor da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz da CNBB, frei Olávio Dotto. Nesta semana, o segundo texto, do eixo “Desmentir a mídia”, já foi enviado aos articuladores. Nos próximos dias, serão trabalhados os eixos “Direitos Básicos e Função do Estado”; “As várias formas de violência”; “Participação política” e “a Rua é o lugar”.

O material, de acordo com a secretaria do Grito, deve contribuir na realização de reuniões e os pré-Gritos, além de facilitar a organização de agendas, definição de trajetos e locais para as atividades e manifestações por parte dos articuladores de várias cidades brasileiras. As ações deverão acontecer no período da Semana da Pátria, tendo como ponto máximo o dia 7 de Setembro.

Dar voz a quem precisa

O Grito dos Excluídos nasceu da necessidade de dar voz ao povo, às minorias e à população historicamente excluída pelo Estado, que elege uma “engrenagem de negociações financeiras que somente obedecem aos interesses dos que já têm, dos ricos, das empresas, dos bancos”. A organização da mobilização analisa que o direito à saúde, moradia, transporte, trabalho, informação e vida digna ficam comprometidos, aumentando a desigualdade social no país. Desde 1995, o Grito é um espaço para que movimentos sociais organizados se manifestem e cobrem direitos já assegurados em nossa Constituição Federal. A coordenação ressalta que a realização é um processo que não começa, nem termina no dia 7 de Setembro.

Acesse o Hino do Grito dos Excluídos 2016 e outros materiais no site http://www.gritodosexcluidos.org/

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

A Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou mensagem para os catequistas de todo o Brasil, por ocasião do dia a eles dedicado, 28 de agosto, no contexto do Mês Vocacional. O texto é assinado pelo arcebispo de Curitiba (PR) e presidente da Comissão, dom José Antônio Peruzzo.

“Em nome da CNBB quero servir-me da data para uma palavra permeada de sincero afeto e imensa gratidão. Embora não seja possível ser suficientemente grato a tanta dedicação, com muita simplicidade, apresento-me para uma reflexão agradecida”, escreveu o arcebispo.

Na mensagem, os catequistas são convidados a fazer memória de sua vocação, lembrando dos passos e desafios diante do chamado para evangelizar por meio da catequese.

“Seu sim ajudou a Igreja a ser Evangelizadora; a ser mais Igreja. Sua dedicação de Catequista a(o) faz lembrar-se de que o Senhor Jesus quer ser conhecido mais por seu amor do que por doutrinas”, diz dom Peruzzo aos catequistas.

Leia o texto na íntegra:

Caríssima irmã, caríssimo irmão Catequista.

Os caminhos da Igreja no Brasil assinalam o mês de agosto com uma nobre particularidade. A temática vocacional recebe forte acentuação: dia dos pais, dia do padre, dia do religioso, dia do Catequista. Este previsto para o próximo dia 28.08.

Em nome da CNBB quero servir-me da data para uma palavra permeada de sincero afeto e imensa gratidão. Embora não seja possível ser suficientemente grato a tanta dedicação, com muita simplicidade, apresento-me para uma reflexão agradecida.

Começo chamando-lhe à recordação uma sua experiência pessoal muito singular: lembra quando alguém lhe dirigiu o convite a tornar-se Catequista? Certamente está presente em sua memória a pessoa, as frases e o contexto. Lembra também de sua própria reação? Talvez inquietação, ou dúvidas, ou temor por não se sentir apta(o). É até possível que lhe tenha aflorado a preocupação pela falta de tempo...

Mesmo assim, embora com tantas objeções, Você aceitou. Estou certo que ainda estão bem presentes os motivos que moveram a aceitar... E o Espírito Santo estava lá: movia, suscitava, inquietava. E eis que desde sua liberdade e desde sua capacidade de amar houve um movimento de afeição amorosa pelo Senhor, pela comunidade, pelos “seus” catequizandos.  

Hoje, tendo já passado um bom tempo, talvez anos, cabem duas perguntas bastante simples: mais ofereceu ou mais recebeu? Mais aprendeu ou mais ensinou? É verdade que os desânimos por vezes se apresentaram; também sinais de cruz se pronunciaram. Mas quanto crescimento! Quantos sinais da proximidade de Deus! Quantas experiências de fé! É... Catequese é um caminho, um discipulado, um encontro que perdura e atravessa os anos. Mas o Senhor nunca se deixa vencer em generosidade. Quantas graças!!!

Seu sim ajudou a Igreja a ser Evangelizadora; a ser mais Igreja. Sua dedicação de Catequista a(o) faz lembrar-se de que o Senhor Jesus quer ser conhecido mais por seu amor do que por doutrinas. Por isso mesmo o episcopado brasileiro lhe agradece, caríssima(o) Catequista. E neste dia louva o Senhor por seu ministério. Que Deus lhe multiplique em bênçãos a bênção que é Você para a nossa Igreja.


Dom José Antonio Peruzzo

Arcebispo de Curitiba-PR
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Cinco lideranças da comunidade quilombola São Benedito dos Colocados, no município de Codó, no Maranhão, estão sendo ameaçadas de morte por jagunços contratados por um latifundiário e político tradicional daquela região. As ameaças têm motivação no conflito agrário, já que o latifundiário em questão pretende expulsar as famílias para lotear e vender parte da área. “No mato ninguém broca. Fui muito paciente com vocês. Agora vou fazer do meu jeito. Vou lotear a terra e vou vender, e ninguém vai se intrometer”, teria dito o político, acompanhado por jagunços, a algumas das famílias que residem no local. As 73 famílias que vivem no território quilombola produzem mandioca, arroz, milho e feijão para a subsistência.

A reportagem foi publicada por Cáritas Brasileira, 16-08-2016.

A comunidade ocupa uma área de 544 hectares habitada desde 1870 – de um período anterior à Lei Áurea, portanto –, e que é certificada pela Fundação Cultural Palmares (FCP), vinculada ao Ministério da Cultura, como território remanescente de quilombo. O latifundiário quer deslocar as famílias que residem no local para uma área de menor interesse imobiliário para lotear pelo menos 300 hectares do território total. As intimidações e ameaças sofridas pelas lideranças foram denunciadas à Promotoria de Justiça da Comarca de Codó, com o promotor local se comprometendo a acompanhar o caso e ouvir tanto os líderes comunitários quanto o latifundiário denunciado. Um boletim de ocorrência também foi registrado na Delegacia de Polícia de Codó, ainda que o posto estivesse sem acesso ao sistema de dados da Polícia Civil maranhense.

Uma das lideranças que vêm sendo ameaçadas pelos jagunços a mando do latifundiário é o agente Cáritas Valdivino Silva. Ele faz parte do Movimento Nacional de Economia Solidária, compõe a coordenação estadual da Rede Mandioca e é o presidente do Conselho Regional da Cáritas no Maranhão. Os outros líderes comunitários são Francisco das Chagas Vieira da Cruz (conhecido também como Caçula), José Domingo de Souza (Peixeiro), Domingo Alves de Souza e Antônio Francisco Santana Oliveira, todos residentes em São Benedito dos Colocados. As ameaças começaram no dia 21 de julho, quando o político latifundiário esteve na comunidade acompanhado de três pistoleiros, um dos quais bastante conhecido na região. “Ele é filho de jagunço. Era mototáxi, mas, depois que o pai morreu, passou a ser pistoleiro também. É um caboclo pequeno, a princípio tu não dá nada por ele. Mas é um cabra violento, sem compaixão. Dizem que já matou oito pessoas. Eu conheço duas mortes provocadas por ele”, disse uma pessoa da comunidade.

De acordo com Valdivino Silva, após a “visita” do latifundiário, os pistoleiros voltaram ao local percorrendo várias residências e perguntando nominalmente pelas lideranças ameaçadas. Eles passavam de casa em casa apontando quem morava ali, numa tentativa clara de intimidar os moradores. Como é agente comunitário de Saúde, Valdivino convocou os moradores para uma reunião na perspectiva de ouvir a comunidade sobre o que estava ocorrendo. A reunião foi marcada para a noite de 27 de julho. Na tarde daquele dia, os jagunços retornaram à comunidade conduzindo motos e perguntando novamente pelas lideranças (nenhum dos homens ameaçados foi encontrado). Os pistoleiros também avisaram que retornariam à noite para a reunião. No horário marcado, cerca de 60 pessoas se reuniram para debater a situação da comunidade. Um carro preto com vidros fumê, escoltado por duas motos, cada uma delas ocupada por dois homens, foi visto circulando pelos arredores naquele horário.

No dia seguinte, Valdivino procurou o escritório da Cáritas Regional Maranhão para denunciar as ameaças de morte e as intimidações sofridas pela comunidade. “Aqui em Codó, quando há ameaça, é difícil que não ocorra morte. Quem é ameaçado, se é comum, morre. Talvez (o latifundiário e seus jagunços) fiquem mais quietos por enquanto, porque este ano tem eleições (municipais). Mas vão matar”, denuncia Valdivino. Na visita ao Regional, o agente Cáritas conversou com Elias Pereira, ouvidor da Secretaria Estadual dos Direitos Humanos e Participação Popular. De acordo com o secretário-executivo da Cáritas Regional Maranhão, Ricarte Almeida Santos, a intenção é que Valdivino e os demais líderes comunitários ameaçados de morte sejam incluídos em um programa de proteção a vítimas mantido pelo governo do estado ou por organismos federais. “Também estamos divulgando amplamente o fato como forma de constranger os agressores na prática dos crimes”, aponta Ricarte.

Nesta quarta-feira, dia 17 de agosto, uma comitiva formada pelas lideranças comunitárias ameaçadas e por outros trabalhadores rurais vai manter uma série de diálogos com instituições públicas na capital do estado, São Luís, para denunciar a violência e debater medidas de proteção. Valdivino lembra que 85% da população de Codó se define como preta ou parda, conforme o censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). São pessoas que descendem dos trabalhadores e trabalhadoras submetidos à escravidão nas grandes plantações de algodão que dominaram a paisagem da região de São Benedito dos Colocados até o final do século XIX, quando o regime escravocrata foi oficialmente abolido no Brasil.

Fonte: Instituto Humanistas

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Amados Missionários e Missionárias,

“A ALEGRIA DO EVANGELHO enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus.” (Papa Francisco, Evangelii Gaudium,1). É com essa alegria do encontro com Jesus que convidamos todos para o 3° Retiro Diocesano das Santas Missões Populares nos dias 26 a 28 de agosto. Este retiro será assessorado por Padre Luís Mosconi, grande fundador da metodologia das Santas Missões Populares que estamos vivenciando em toda a diocese de Bacabal. Juntos iremos aprofundar o sentido e o valor da Conversão em nossa vida; preparação para as grandes Semanas Missionárias que acontecerão em todas as paróquias em 2017.


As paróquias de Bacabal se encontram de portas e braços abertos para acolher com muito amor e carinho todos os missionários, assim, ao chegar à cidade cada Paróquia se dirija a Igreja Matriz onde serão acolhidos até as 17:00h. Os que chegarem depois, devem ir diretamente para o local onde acontecerá o retiro e depois para onde serão hospedados.


Paróquia São Francisco: Lago Verde, Trizidela do Vale, Pedreiras, Lima Campos, Capinzal, Santo Antônio dos Lopes, São Luís Gonzaga.
Catedral Santa Teresinha: Paulo Ramos, Bom Lugar, Esperantinópolis, Poção de Pedras, São Roberto e São Raimundo e Igarapé Grande.
Paróquia Sant’Ana e São Joaquim: Pio XII, Satubinha, Lago da Pedra, Olho d’Água das Cunhãs e Vitorino Freire.


INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

Cada missionário deve trazer: COPO, BÍBLIA, CADERNO, CANETA e os LIVROS DAS SMP.
Cada paróquia deve trazer: As bandeiras do Espírito Santo e das SMP, MURAL COM FOTOS/ ATIVIDADES DO 2º RETIRO
Taxa de inscrição: R$ 20,00 (Para ajudar nas despesas de almoço e lanche)

Local do Retiro: Paróquia Sant’Ana e São Joaquim às 19h00 da sexta-feira, 26 de agosto.
Endereço: Rua Raimundo Correia – s/n
Telefone: (99) 3621-1272

Sobre as refeições: 

O café da manhã e jantar será nas famílias onde os missionários estiverem hospedados.
O almoço e lanche serão servidos no local do Retiro.
Que o Espírito Santo conduza nossa Diocese pelos caminhos da missão permanente nos tornando cada vez mais uma igreja viva, alegre e acolhedora. Maria nossa Mãe Imaculada nos ajude a seguir o exemplo de amor e de doação de Santa Teresinha e de São Francisco Xavier para sermos perseverantes na realização das Santas Missões Populares.


Com minha benção


+ Armando Martín Gutiérrez
Bispo de Bacabal

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

“Uma verdadeira abordagem ecológica sempre se torna uma abordagem social”.
(Papa Francisco)

Estimados Senhores Bispos, Padres, Coordenadoras e Coordenadores da Pascom - Pastoral da Comunicação das Dioceses do Regional NE5,

Como consta no Calendário Regional, o Encontro de Formação da Pascom será realizado:

Local: Casa de Retiro Oásis, Rua Frei Hermenegildo, 380 – Aurora, em São Luís-MA.

Data: 09, 10 e 11 de setembro 2016, com inicio às 19:00 do dia 09, com o jantar e encerramento no dia 11 com o almoço.

O Tema central do encontro é: “COMUNICAÇÃO E O CUIDADO COM A CASA COMUM”.

No documento ‘Laudato si’, o Papa Francisco aborda a comunicação a partir de um ponto de vista mais concreto e empírico. “(...) comunicação como de uma ação ampla e difusa por toda a Criação, pois o próprio universo, composto por sistemas abertos que entram em comunicação uns com os outros” (n. 79).

O encontro tem como objetivo desenvolver o potencial crítico dos comunicadores da Igreja do Maranhão.

E teremos como colabores a Jornalista Deborah Ferreira e o Jornalista Romulo Gomes

Neste sentido, pedimos que cada Diocese, cada paróquia envie representantes da Pascom ou pessoas que se identifique com comunicação para o nosso encontro regional.

Pedimos ainda que cada participante traga roupa de cama, material de higiene pessoal e uma contribuição de R$ 100,00.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Caros Missionários (as),

Como é do nosso conhecimento, a Pontifícia Obra da Infância e Adolescência Missionária (IAM) deu origem a Juventude Missionária (JM), ambas são chamadas de obras Pontifícias porque se desenvolveram com o apoio da Santa Sé, estão diretamente ligadas ao Papa.


As Pontifícias Obras Missionárias (POM) têm o objetivo geral de: 
- despertar e aprofundar a consciência missionária do Povo de Deus;
- conscientizar os cristãos sobre a vida e necessidades da Missão universal;
- estimular as Igrejas a rezarem umas pelas outras e serem solidárias na evangelização do mundo.

No Brasil as Pontifícias Obras já estão presentes em várias Igrejas. No Regional Nordeste V têm crescido muito a propagação da fé com o objetivo de tornar a Igreja cada vez mais missionária. Na diocese de Bacabal, especialmente neste tempo em que estamos vivenciando as Santas Missões Populares, tempo especial de missão, queremos animar, resgatar e fortalecer todos os grupos da IAM e JM existentes em todas as Paróquias, para juntos celebrarmos com grande festa o Jubileu de 50 anos de nossa Diocese em estado de missão permanente.

Por isso, é com muita alegria que convidamos todos os assessores da Infância Missionária (IAM) e Juventude Missionária (JM) para um grande encontro de “Animação e Formação Missionária” a fim de partilhar e organizar a nossa caminhada na diocese.

DATA: 03 e 04/09/2016
INÍCIO: 8:00h do dia 03/09/2016
LOCAL: Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro – Lima Campos
TAXA: R$ 20,00 (por Pessoa, confirmação e pagamento da taxa até o dia 25 de agosto)
ASSESSORIA: Pe. Aurielio Martins
INFORMAÇÕES: Ir. Ana Cristina Monteiro (99) 98140-1018

“Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações.” (Mt 28,19)



+Armando Martín Gutiérrez
Bispo de Bacabal

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Caríssimos irmãos e irmãs, 

O Ano Santo da Misericórdia, promulgado pelo Papa Francisco quer ser para todos nós um tempo favorável para contemplar a misericórdia divina que ultrapassa qualquer limite humano. 

Se em todos os momentos de nossa vida é necessário refletir esse sentimento do Pai, no Festejo do nosso Padroeiro São Raimundo Nonato muito mais ainda, tendo em vista o seu testemunho de amor e compaixão principalmente para com os mais pobres, perseguidos e presos, a ponto de entregar-se quando faltou-lhe recursos financeiros para os libertarem. 

Num mundo em que busca-se quase que exclusivamente cada um seus próprios interesses, dos prazeres e honras unidos à vontade de acumular riquezas, este grande Santo torna-se sinal visível para nós da misericórdia que Jesus quer que tenhamos. Seu estilo de vida e seus ideais devem ser amplamente desejados também por nós, por isso convido a cada um a participar do Festejo, que será realizado de 22 a 31 de agosto de 2016, cujo tema será “SÃO RAIMUNDO, MODELO DE AMOR MISERICORDIOSO QUE NOS CONVIDA A CUIDAR DA CASA COMUM”. Será  a grande oportunidade para aprofundarmos esse sentido.

Aliado a essa temática tão significativa, que é a misericórdia de Deus, a Igreja pede-nos ainda que reflitamos – e sobre o cuidado com a “Casa Comum”, já que o projeto do Criador é maravilhoso, mas encontra-se ameaçado! Essa preocupação parte de dois gritos: o grito dos pobres que mais sofrem, e o grito da Terra que geme pela exploração e pela falta de saneamento básico. São Raimundo compreendeu esse chamado, fez aquilo que estava a seu alcance, alcançando a graça diante dos olhos de Deus e hoje, diante em dia, diante também dos nossos olhos. Inspiremo-nos neste exemplo!

Peço ainda a todos que esforcem-se ao máximo para que tenhamos um bom festejo. Que o Senhor abençoe a todos!

PE. RIBAMAR CARDOSO LIMA - PÁROCO
E CONSELHO COMUNITÁRIO

PROGRAMAÇÃO RELIGIOSA

DIA 21 (DOMINGO)
Subtema: "Misericórdia na Família: Dom e Missão
Liturgia: Pastoral Familiar
Convidados: Todas as famílias

DIA 22 (SEGUNDA-FEIRA)
Subtema: Maria, Mãe do Salvador, o Príncipe da Paz
Liturgia: Legião de Maria
Convidados: Comunidades Palmeiral e Pinto Teixeira
Leilão: Ruas 16, 17, Congonhas e Geraldo Pinto
Animadores: Lidu, Valdimira, Silvanir, Maria do Rosário, Martinha, Aldenora e Pedro Calado

DIA 23 (TERÇA-FEIRA)
Subtema: O tesouro que buscamos é o Reino do Céu
Liturgia: Coroinhas
Convidados: Comunidade N.Sra. Rainha da Paz e São José
Convidados: Comunidade Nossa Sra. de Nazaré (Pov.  Lagoa Perto)
Leilão: Ruas Galeão, Augusto Severo, São Francisco e Tirirical
Animadores: Nego, Oneide, Raimunda, Deuza, Graça, Maria Luz

DIA 24 (QUARTA-FEIRA)
Subtema: O Filho do Homem torna-se acessível a todos os que o buscam sem cessar
Liturgia: Missionárias de Madre Teresa
Convidados: Comunidades Santo Antonio e N. Sra. de Fátima
Ruas: Silva Neto, Otávio Pinho, Jurandir Lago, Bete Lago, Raimunda Loiola e São Domingos
Animadores: Nonata, Rosa, João Mota, Rosa Rocha, Luizinha e Francisca

DIA 25 (QUINTA-FEIRA)
Subtema: Jesus nos chama a viver a justiça, a misericórdia e a fidelidade
Liturgia: Terço dos Homens
Convidados: Comunidades Matriz e São Pedro (Povoado Pau D'Arco)
Leilão: Ruas 01, 02, 03, 05, 10, 13 e 14 (Bairro Santos Dumont)
Animadores: Nadir, Juscelino, Eldo, Lídia, Duda e esposo e Paula

DIA 26 (SEXTA-FEIRA)
Subtema: “Vigiai e orai”, diz o Senhor
Liturgia: Pastoral Familiar
Convidados: Paróquia Santa Teresinha
Leilão: Ruas 01, 02, 03, 04, 05, 06 e 07 (Vila São João)
Animadores: Josileide, Eleomar, Sílvia, Jesus, Cássia, Josiel, Leila e Jefferson, Iranilson e esposa, Elmer e esposa, Teresinha e esposo, Socorrinha e esposo

DIA 27 (SÁBADO)
Subtema: Jesus nos convida a sermos fiéis nas pequenas coisas, colocando em prática os dons que recebemos
Liturgia: Juventude e Teatro
Convidados: Paróquia São Francisco
Leilão: Ruas Filomeno Parga, Artur Azevedo e Frederico Leda
Animadores: Cruz, Ivonete, Dos Santos, Maria José Livramento, Ana Brandão e Telma

DIA 28 (DOMINGO)
Subtema: Vivei a fidelidade e a justiça na humildade
Liturgia: Comunidade Santa Luzia
Convidados: Comunidades Santa Luzia e Nossa Senhora da Conceição
Leilão: Ruas 06, 07, 08, 09 e 18 (Santos Dumont)
Animadores: Aldevan, Tersa, Neodema, Vanusa, Elivandro, Daniele e Raimunda

DIA 29 (SEGUNDA-FEIRA)
Subtema: O profeta é chamado a proclamar e justiça e fidelidade
Liturgia: Pastoral do Dízimo e Amigos das Vocações
Convidados: Comunidade São João Batista e Povoado Capoeira
Leilão: Ruas 1º de Maio e Tavares de Moura
Animadores: Suely, Cleciane, César e esposa, Rosilene e Maria da Paz

DIA 30 (TERÇA-FEIRA)
SUPER BINGÃO
Subtema: Só Tu, Senhor, tens palavra de vida eterna
Liturgia: Catequistas
Convidados: Todos os catequistas da Paróquia

DIA 31 (QUARTA-FEIRA)
Tema Central: 
SÃO RAIMUNDO, MODELO DE AMOR MISERICORDIOSO QUE NOS CONVIDA A CUIDAR DA CASA COMUM
Liturgia: Pastoral Litúrgica
Convidados: Todas as comunidades e devotos de São Raimundo
Fonte: Conselho Comunitário

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Em reunião com os catequistas da Paróquia nesta quarta-feira (03), ficaram definidas as atividades para o segundo semestre de 2016.

O encontro aconteceu com a presença de 30 pessoas, representantes das 9 comunidades no Centro Paroquial, com a presença do Padre Ribamar.

As principais definições foram:

• Realização da Escola da Fé / Espiritualidade: Todo 1º domingo do mês, salvo exceções.
• Horário dos encontros: Das 08:00h às 12:00h
• Local: Centro Paroquial (Local fixo para todas as datas)

• PRÓXIMOS ENCONTROS DE FORMAÇÃO E ESPIRITUALIDADE:

Dia 13 de agosto: Iniciação à Vida Cristã e Caminho Catecumenal (Assessoria: Lourival, Lays e Conceição, participantes do encontro à nível diocesano sobre o assunto a ser repassado). Horário: das 15:00h às 17:00h
Dia 04 de setembro: Introdução à Bíblia (Assessoria: Frei Ivaldo. Horário: das 08:00h às 12:00h
Dia 16 de outubro: O chamado que desperta a adesão a Jesus / Jesus, o enviado do Pai / O perfil do catequista e do catequista Jesus / Jesus anuncia o Reino de Deus. Horário: das 08:00h às 12:00h
o Dia 06 de novembro: Liturgia e Catequese (Assessoria: Frei Ribamar). Horário: das 08:00h às 12:00h
o Dia 04 de dezembro: Assembleia Paroquial de Catequese (Planejamento, organização e eleição da coordenação)

PONTOS IMPORTANTES (PADRE RIBAMAR)
• Catequistas não faltarem nos encontros, a não ser por justíssima causa.
• Os mesmos devem participar do Retiro das SMP (26 a 28/08/2016) na Matriz de Sant’Ana e São Joaquim.
• Todas as comunidades devem formar turmas de catequese batismal, eucarística e crismal para adultos.
• Os catequistas que puderem podem ajudar nas comunidades providas de menos agentes, como Santo Antonio e Nossa Senhora de Fátima, conforme solicitação dos coordenadores destas comunidades. 
• As que tiverem dificuldades em formar grupos por falta de agentes podem juntar-se em núcleos. Exemplo: Grupo na Matriz que acolha pessoas da Comunidade São José e Nossa Senhora de Fátima. Grupo na Comunidade São João que acolha pessoas da Comunidade Nossa Senhora Rainha da Paz. 

terça-feira, 2 de agosto de 2016

A Paróquia Santa Teresinha realizará neste sábado (06) a 3ª Pedalada Vocacional.

O evento nos dois últimos anos atraiu, principalmente, muitos jovens e busca refletir um pouco mais sobre o chamado de Jesus Cristo e durante todo o percurso haverá momentos de reflexão, oração, louvor, apresentações, entre outras atividades. 

A concentração será às 16:00h em frente à Catedral Diocesana, seguindo de percurso pelas principais ruas da cidade até chegar à Terra do Sol, onde será parada final.  

Frei Marcos Tavares Oliveira, ofm.
Frade Menor da Província do Santíssimo Nome de Jesus do Brasil.
Estudante de Teologia.

A Igreja no Brasil celebra neste mês de agosto, o mês das vocações. Mas o que é vocação? O termo vocação vem do latim, vocare, que significa chamar. Também entendemos por vocação a disposição natural e espontânea que orienta uma pessoa no sentido de uma atividade, uma função ou profissão; pendor, propensão, tendência. Vocação, portanto é CHAMADO e tal chamado exige uma RESPOSTA. 

“Um dia, como qualquer outro dia, o Senhor me criou para uma grande missão.” Nosso primeiro chamado é promover e servir a vida - a nossa própria, a do próximo e da Casa Comum – cada pessoa com sua forma e seu jeito diferente. Uns são chamados a dar o seu sim nos ministérios ordenados: diáconos, padres e bispos. Outros são chamados a dar seu sim constituindo famílias: nossos pais e mães. Outros a dar seu sim no seguimento do Cristo pobre e obediente pela profissão dos conselhos evangélicos: os religiosos e as religiosas. “Onde estão os religiosos, existe alegria”, afirma e desafia papa Francisco.

 Outros, porém também são chamados a dar o seu sim na vida cotidiana, na catequese, em nossos grupos e pastorais, na animação de nossas comunidades. São nossos leigos e leigas, presença firme e animadora.

Todos somos chamados e chamadas para uma grande missão. Cabe a cada um, a cada uma de nós estarmos atentos aos apelos de Cristo que nos chama através dos sinais dos tempos de formas diversas a nos colocarmos ao seu serviço e ao serviço dos irmãos e irmãs em sua Igreja e no mundo.

Você já deu a sua resposta ao chamado do Senhor? Está ajudando  outros também a dar sua resposta?

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Sem dúvida alguma em todas as paróquias do Brasil o grupo que mais tem crescido é o Terço dos Homens. E em nossa paróquia acontece igualmente: em praticamente todas as comunidades já existe um grupo.

Um desses grupos é o Comunidade Nossa Senhora da Conceição (Porta Aberta), que na última sexta-feira (29) comemorou seu 4º aniversário de existência, graças ao esforço de inúmeras pessoas daquela comunidade, principalmente homens que entenderam que outros homens deveriam conhecer mais profundamente Jesus Cristo e sua Igreja. 

Com a igreja lotada, homens de diversas localidades de Bacabal  e região estiveram presentes para celebrar esse momento festivo, iniciado com a reza do Terço feito por homens das nossas comunidades, seguindo-se da Missa presidida por Padre Ribamar.

Ao final da celebração foi cantado os parabéns ao grupo, que a cada dia torna-se cada vez maior em número de membros e também na fé. E finalizou-se com um momento de confraternização entre todos os presentes.

Fotografia: Francisco Jane
Quinto e último dia da XV Viagem Apostólica do Santo Padre que o levou à Polônia.O Papa deixou a sede do arcebispado de Cracóvia, na manhã deste domingo (31/7) e se dirigiu, novamente, ao “Campus Misericordiae”, a 12 km., para presidir à solene Santa Missa de encerramento da XXXI JMJ.

Ao chegar à localidade, o Pontífice abençoou uma das duas Casas que, depois da JMJ, será dedicada à Assistência de idosos em dificuldade e pobres; a outra servirá como sede da Caritas local.
Depois de aspergir, com a água benta, as pessoas presentes, o ambiente e a imagem de Nossa Senhora de Loreto, tomou o papamóvel e deu uma volta entre os milhares de jovens que se encontravam no “Campus Misericordiae”, muitos dos quais passaram a noite ali em oração e meditação diante do SS. Sacramento exposto sobre o altar.

A seguir dirigiu-se à sacristia para se paramentar e dar início ao grande evento do dia: a celebração Eucarística conclusiva da JMJ. Concelebraram cerca de 1.200 bispos e arcebispos e mais de 15 mil sacerdotes.

Em Cracóvia para encontrar Jesus

No início da Santa Missa, o Cardeal-arcebispo de Cracóvia, Dom Stanislaw Dziwisz, fez uma saudação ao Papa e numerosos presentes. Depois, ao pronunciar sua homilia, Francisco recordou inicialmente que os jovens se encontram em Cracóvia para encontrar Jesus, com base no Evangelho de hoje que fala do encontro, Jericó, entre Jesus e um homem, chamado Zaqueu:
“Jesus não se limita a pregar ou a saudar alguém, mas atravessa a cidade. Em outras palavras, Jesus quer se aproximar da vida de cada um, percorrer o nosso caminho até ao fim, para que a sua vida e a nossa se encontrem concretamente”.

Assim dá-se o encontro tão surpreendente com Zaqueu, o chefe dos Publicanos, isto é, dos cobradores de impostos. Zaqueu era um rico, colaborador dos odiados romanos; era um explorador do povo, uma pessoa que, pela sua má reputação, nem devia sequer aproximar-se do Mestre. Porém, disse o Santo Padre, este encontro com Jesus mudou a sua vida, como poderia acontecer com cada um de nós:

Baixa estatura, vergonha paralisante, multidão murmurante

“Zaqueu, porém, teve que enfrentar alguns obstáculos para encontrar Jesus: pelo menos três, que podem servir de exemplo também para nós: baixa estatura, vergonha paralisante, multidão murmurante”.

Começando pelo primeiro obstáculo, a sua “baixa estatura”, o Papa disse que Zaqueu não conseguia ver o Mestre, porque era baixinho. Também hoje – explicou - podemos correr o risco de ficar distante de Jesus, porque não nos sentimos à altura, porque temos uma baixa estima de nós mesmos. Esta é uma grande tentação, que não tem a ver apenas com a autoestima, mas com a fé:
“Jesus assumiu a nossa humanidade e o seu coração nunca se afastará de nós; o Espírito Santo quer habitar em nós; somos chamados à alegria eterna com Deus. Eis a nossa estatura, a nossa identidade espiritual: não aceitar-nos e viver descontentes e de modo negativo significa não reconhecer a nossa verdadeira identidade. Deus nos ama como somos e nenhum pecado, defeito ou erro lhe fará mudar de ideia”.

Para Jesus, ninguém é insignificante

Para Jesus, ninguém é inferior e distante, ninguém é insignificante. Pelo contrário, todos somos prediletos e importantes! Deus conta conosco pelo que somos, não pelo que temos; ele nos aguarda com esperança, acredita em nós e nos ama! Aqui, Francisco passou a explicar o segundo obstáculo que Zaqueu tinha para encontrar Jesus: uma “vergonha paralisante”:
“Podemos imaginar o que aconteceu no coração de Zaqueu, antes de subir ao sicômoro: deve ter havido uma grande luta; por um lado, uma curiosidade boa: conhecer Jesus; por outro, o risco de fazer um papelão”.

Zaqueu era um personagem público, um líder, um homem de poder e sabia que, ao subir à árvore, faria um papel ridículo; ele, porém, venceu a vergonha, porque a atração por Jesus era mais forte. Ele estava pronto a tudo, porque Jesus era o único que poderia livrá-lo do pecado e da infelicidade. Quando ele o chamou, desceu imediatamente e colocou-se em jogo. E o Pontífice exortou: Apostem no amor

“Queridos jovens, não tenham vergonha de apresentar-lhe tudo na Confissão: fraquezas, cansaço, pecados, pois Ele os surpreenderá com o seu perdão e a sua paz. Não tenham medo de dizer-lhe ‘sim’ com todo o entusiasmo do coração, de responder-lhe com generosidade, de segui-lo. Apostem no belo amor, que requer renúncia ao sucesso forçado e à droga de pensar só em si e nas próprias comodidades”.

Por fim, depois da “baixa estatura” e da “vergonha paralisante”, o Santo Padre explicou terceiro obstáculo que Zaqueu teve que enfrentar: a “multidão murmurante”, que o bloqueou e o criticou, dizendo que Jesus não devia entrar na casa dele, por era um pecador. Como é difícil acolher Jesus e aceitar um Deus “rico em misericórdia”! Mas, ele nos convida a ter coragem, a ser mais fortes que o mal. Os outros poderão rir de nós por acreditarmos na força da misericórdia. E dirigindo-se de modo particular aos jovens da JMJ, Francisco deixou seu recado:
Nova humanidade

“Não tenham medo, mas pensem nas palavras destes dias: ‘Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia’. Vocês poderão parecer sonhadores em acreditar numa humanidade nova, que rejeita o ódio entre os povos e as barreiras dos países, que mantém suas tradições, sem egoísmos ou ressentimentos. Não desanimem! Com seu sorriso e braços abertos transmitam esperança, pois vocês são uma bênção para a família humana”.

Em suma, enquanto a multidão criticava e julgava Zaqueu, Jesus levantou seu olhar para ele, um olhar que vai além dos defeitos e pecados. Assim, ele entrevê o bem futuro, não se resigna perante a obstinação, mas busca o caminho da unidade e da comunhão; Jesus não se detém nas aparências das pessoas, mas olha seu coração. E o Papa ponderou:

“Com este olhar de Jesus, vocês podem criar uma nova humanidade, sem esperar recompensa, mas buscando o bem, felizes de ter um coração puro e lutando, de modo pacífico, pela honestidade e a justiça. Não sejam superficiais, desconfiem das aparências mundanas. Mas, tenham um coração que vê e transmite o bem, sem cessar. Contagiem o mundo com a alegria que receberam gratuitamente de Deus.

Hoje, disse por fim Francisco, Jesus nos diz, como fez com Zaqueu: “Desça depressa, pois hoje vou ficar na sua casa”. Logo, a JMJ, poderíamos dizer, começa hoje e continua em suas casas, porque é lá que Jesus vai encontrá-los, a partir de agora. O Senhor não quer ficar apenas nesta bela cidade ou nas belas recordações, mas agir em suas vidas: no estudo, no trabalho, nas amizades, nos afetos, nos projetos e nos sonhos.

Tudo, porém, recomendou o Papa, deve realizar-se na oração, na Palavra de Deus, no Evangelho! Respondamos a Jesus que nos chama por nome. Façamos memória, agradecidos, do que vimos e ouvimos aqui.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Terminou com grande festa no último dia 26, o festejo em honra a Sant'Ana e São Joaquim, que reuniu grande multidão, desde a procissão até o término do evento religioso, que tem-se tornado tradição em nossa Diocese, agregando cada vez mais devotos. 

Ao final desse festejo, temos que fazer um balanço positivo em relação à ele. E geralmente quando se fala isso, tende-se a pensar primeiramente no âmbito financeiro, mas de fato, houve principalmente grande empenho da comunidade, confraternização nos trabalhos, dedicação, carinho em tudo, o que fez com que o saldo ficasse positivo e desta vez por uma justa causa: a climatização da igreja, a quem todo o financeiro do festejo será destinado. Além, disso com, com certeza muitos foram tocados pela Palavra de Deus e tiveram a oportunidade de saírem daquele templo transformados e abastecidos da fé em Jesus Cristo. E isso foi o maior de todos os resultados!

No último dia da festa, Frei Ribamar lembrou do exemplo dos dois padroeiros e agradeceu a parceria de todos aqueles que empenharam-se na realização de mais um festejo e invocou a bênção de Deus sobre todas os participantes.

Fotografia: Francisco Jane

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Começou da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de Cracóvia (Polônia), da qual participarão centenas de milhares de jovens do mundo todo e que terá a presença do Papa Francisco.

Nesse sentido, o porta-voz da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, apresentou em coletiva de imprensa o programa da viagem e alguns detalhes até então desconhecidos deste multitudinário encontro de jovens católicos, idealizado por São João Paulo II e cuja primeira edição foi em 1985.

Estas são as 10 coisas que você não pode deixar de saber sobre esta edição da JMJ:

1. A “misericórdia” será o tema em torno do qual será centrada toda a JMJ, por ocasião do Jubileu da Misericórdia celebrado na Igreja universal até o próximo mês de novembro.

2. São João Paulo II não só será recordado porque a Polônia é a sua terra natal, mas sim epla sua encíclica Dives in Misericordia.

3. É a 15ª viagem do Papa Francisco, que até agora nunca tinha ido à Polônia. Além disso, é a segunda vez que este país acolhe uma JMJ, pois organizou uma em Czestochowa em 1991. Bento XVI também realizou uma viagem à Polônia em 2006.

4. Um dos encontros do Papa Francisco será com os bispos do país, o qual será estritamente reservado.

5. Em todos os grandes eventos da JMJ, o Evangelho será proclamado em polonês e língua paleo-eslava, a mesma usada na liturgia greco-católica.

6. Durante sua visita ao campo de concentração nazista de Auschwitz, o Pontífice não pronunciará discurso algum, mas reinará o silêncio como sinal de dor e compaixão pela morte de mais de um milhão de pessoas neste lugar durante o Holocausto. Além disso, rezará diante da cela em que esteve preso São Maximiliano Kolbe exatamente no 75º aniversário do dia em que foi condenado à morte.

7. Francisco se encontrará com alguns judeus sobreviventes do campo de concentração. Um deles tem 101 anos e hospeda um peregrino da JMJ.

8. Durante a vigília de oração do Papa Francisco com os jovens, em 30 de julho, serão ouvidos os testemunhos de um sírio, um paraguaio e um polonês. No dia seguinte, domingo, Francisco abençoará duas casas das Cáritas.

9. Não há nenhuma preocupação específica pela segurança, afirmou o Pe. Lombardi, referindo-se aos últimos ataques terroristas por jihadistas na Europa.

10. Há cerca de 400 mil inscritos para a JMJ, a maioria da Espanha e da Itália, e espera-se que na Vigília e na Missa de encerramento com o Pontífice participem quase 2 milhões de pessoas. Também participarão cerca de 800 bispos e 70 cardeais de todo o mundo.

Fonte: ACI Digital